terça-feira, 24 de agosto de 2010

A Bisavó H.


Adoro ler e fazer receitas que envolvam muitos passos e adoro lê-las, como se de um romance se tratasse ou estudá-las, como se me preparasse para um exame bem difícil. Acontece-me muitas vezes ler uma e outra vez uma receita, deixar amadurecê-la no meu espírito e passado uns tempos volto à carga e disponho-me a fazê-la. Trato por isso os livros de culinária com todo o respeito!.... Mas há outro material de que ainda gosto mais!.... Gosto em particular dos testemunhos que são passados pelo “punho”, dos tesouros que guardo como a herança da família. Os cadernos de receitas mais antigos que tenho são os da minha Bisavó H. Como já aqui revelei, penso que herdei dessa minha Bisavó o gene do gosto pela cozinha “complicada”… Delicio-me com esse caderno, em que as galantines e o foie-gras aparecem lado a lado, bem como receitas de muitos bacalhaus “ricos”, empadas de caça, os segredos de como fazer uma caixa de vol-au-vent, doces conventuais e pudins com muitos ovos. Algumas, confesso, apesar de lidas e relidas parecem-me tão complicadas que ainda não tive coragem de as fazer!.... Mas não deixam de me impressionar. Pelo que me contam, a minha Bisavó H., sendo de classe social elevada, não precisava de cozinhar. Mas nos dias de festa, ia para a cozinha confeccionar e orientar a preparação de tão requintada culinária!... Gosto de imaginar como seriam as cores, os cheiros e os sabores da cozinha dessa casa nesses dias…

16 comentários:

Drica disse...

Gosto dos teus gostos...
Há heranças que se passam e repassam e cada vez se tornam mais valiosas e é realmente imperioso preservar e dedicar carinho e atenção.

Muitos beijinhos

Carla disse...

Simplesmente delicioso! Era capaz de passar horas a folhear um caderno assim, a sentir o cheiro e o tacto das folhas e a imaginar todas essas iguarias na mesa.
Beijinhos

Sandra Barradas disse...

Que maravilha... mas eu acho sempre as receitas antigas mais simples, pelo menos as que eu tenho.

bjinhos

Lusitana disse...

Letra bonita, a da sua bisavó...Um repasto para os olhos!

Tangerina disse...

Esses cadernos são verdadeiros tesouros! Eu tenho um de sobremesas feito por uma tia e de vez em quando vou lá espreitar como quem vai ao museu ;)

Beijinhos,
Carlota

conceicao disse...

Esse cadernos são preciosidades. Eu também leio e releio uma receita até me decidir executa-la.
Bjs

Filipa disse...

Babette! Que preciosidade! Realmente temos muito em comum....essa "estrutura-terna" é que faz de nós aquilo que somos, como dizes e bem! Eu também tenho cadernos assim....De Bisavó, Avó, Mãe, Tia e até Sogra, acreditas? Acho que tenho dezenas de receitas escritas à mão! Um beijinho

pipoka disse...

Essas memórias são lindas. Da únioa bisavó que conheci não tenho memória de ela gostar de cozinhar. Mas a filha dela, a minha avó paterna, é a grande responsável pelo meu gosto pela cozinha, e por muitas das coisas que sei em matéria de culinária. Tal como tu, conservo os seus livros de receitas com tanto cuidado e carinho, pois são verdadeiros tesouros.

beijocas

Fla disse...

Que tesouro você tem em mãos.
Eu sinto muito em não ter os cadernos de receita das minhas avós comigo.
=)
Beijos

Salsa Verde disse...

Que fantástico tesouro. Ao ler este "post, pareceu-me estar a ver um dos episódios da Nigella em que ela vai relatando a herança familiar que lhe foi deixada, através de testemunhos escritos, pela mãe, avó, bisavó...
Fantástico!!
Beijinhos,
Lia.

Richie disse...

Eu adoro caderno de receitas pessoais tb! Já escaneei o da minha avó! O ruim é minha mãe que nao escreve, faz tudo de cabeça..rs
Lindos os cadernos amarelados!

MARIE GOURMET disse...

Olá ma Babette:
Julgava-me desaparecida, não? Estou de volta e adorei a ideia de fotografar esse espólio maravilhoso da sua 'bisaïeule' H. Sempre disse que a Babette tinha classe, distinção e não me enganei. Há essa coisa intangível que se chama 'berceau' e faz a diferença. Um beijinho da Marie Gourmet.

isabel disse...

Olá Babette,
heranças valiosas de uma bisavó que uma querida neta estimou carinhosamente... Fiquei imaginando os odores maravilhosos e o burburinho próprio de uma cozinha em movimento da qual saíam iguarias bem requintadas e caprichadas... Nada difícil de imaginar quando se segue um blog tão bom quanto este!
beijinho :)

Daniana Bittencourt disse...

Que bela herança. Amei.
Abraços, Daniana
http://cozinhasemdrama.blogspot.com/

gasparzinha disse...

Um tesouro delicioso!
:)
Que maravilha.

Moira disse...

Esses caderninhos são verdadeiros tesouros.
Disso não tenho nada, mas tenho o primeiro livro de culinária da minha mãe, que o meu pai lhe ofereceu antes de eu ter nascido e também já é um verdadeiro tesouro.