quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Sonhos


"Se não demorarem 1 hora certa a fritar, não ficam bons!". É o que diz todos os anos a minha mãe. Esta coisa da cozinha tem regras e alquimia. A textura da massa, a temperatura certa do lume, a cadência da fritura. Tudo se traduz numa receita clara, mas a execução parece tomada por misteriosos pormenores.... Os da minha mãe saem sempre assim: perfeitos. Apesar de os temer. Todos os anos....


Ingredientes

Para os Sonhos:
(Receita do Mestre Silva)

2,5 dl de água e leite, misturados meio por meio
50 gr de margarina
1 casquinha de limão
sal q.b.
150 gr de farinha de trigo
3 ou 4 ovos (conforme o tamanho)
óleo para fritar q.b.
açúcar em pó e canela para polvilhar os sonhos

Para a Calda:
(Receita da D.ª Maria de Lourdes Modesto)

350 gr de açúcar
300 ml de água
1 pau de canela
1 casca de limão
1 cálice de Vinho do Porto


Preparação

Para os Sonhos: Numa caçarola, deitar os 2,5 dl de água e leite, a margarina, a casquinha de limão e uma pitada de sal. Deixar levantar fervura e juntar a farinha de uma só vez, mexendo logo e batendo bem com uma colher de pau, para não granular. Mexer bem sobre o lume até que a massa, formando uma bola, se descole do fundo. Despejar então numa malga, retirar a casca de limão e deixar arrefecer. Juntar depois os ovos, um a um, amassando sempre e batendo muito bem a massa que deve ficar fofa. Deitar óleo numa frigideira de bordo alto, até cerca de 2 dedos de altura. Levar ao lume e deixar o óleo aquecer mas não demasiado. Com uma colher de sobremesa ou de sopa, deitar porções de massa no óleo, deixando fritar muito lentamente com o lume no mínimo. Fritar poucos de cada vez, pois crescem bastante. Durante a fritura, se os sonhos não se virarem sozinhos, ajudá-los a virar até ficarem grandes, lourinhos e fofos. Retirar e escorrê-los bem, dispondo-os num prato e polvilhando com açúcar e canela.

Para a Calda: Levam-se ao lume todos os ingredientes, com excepção do Vinho do Porto, deixando-se ferver por 15 minutos. Fora do lume, adicionar o Vinho do Porto.


Servir os Sonhos regados com a calda, a gosto.

Bom Apetite!

5 comentários:

turistaocasional disse...

Sonhos é algo que realmente é tipico na mesa de Natal, mas que nao é costume povoar a minha. Estes sonhos tem óptimo aspecto e os rituais e pormenores devem torna-los fantásticos.

Eu tenho andado mais afastada nos ultimos dias mais afastada do acesso à internet, e por isso só hoje estou aqui a comentar uma receita com tanta tradição.

Hoje o meu blog também entra para umas merecidas férias, mas nao sem antes publicar os meus votos natalicios e mostrar a minha "tradicional" arvore branca com decorações rosa. Passa por lá.

Beijinhos agora de mais perto :-)

Ilídia disse...

Costumo fazer sonhos de abóbora, com uma simples calda de açúcar e canela. Este ano, se não se importar, vou enriquecê-los com esta sua calda, que me parece deliciosa.
Aproveito para lhe desejar um bom Natal, junto daqueles que lhe são mais queridos.
Um beijo,
Ilídia

Gisela disse...

Uma doce de Natal que gosto imenso.
Feliz Natal para ti e restante familia

Mar disse...

Tinha de dizer que era o que me apetecia agora. Sonhos. Assim como estes. Com calda. Polvilhados com açúcar e canela. Gostei tanto da combinação do chefe Silva com a "nossa" Maria de Lourdes Modesto. Duas pessoas que me fizeram gostar mais de cozinhar. Acho que nunca te disse isto, mas quando tinha uns doze anos, o meu pai apresentou-me ao chefe Silva. Estava tão feliz como se estivesse a conhecer uma estrela de cinema ou assim. E escolhi as minhas duas Teleculinárias mais bonitas e tudo:) Para ele autografar.
E acho que os únicos sonhos a que vou ter direito hoje são aqueles que vêm com o sono. Estou cansada. Mas acho que amanhã começa a acalmar. Espero que sim.

Um beijo.

Mar

Babette disse...

Turista:
Consegues estar mais perto e contudo mais afastada daqui, o que se compreende perfeitamente! Beijos!

Ilídia:
E quando comer um sonho lembre-se de mim!... Um beijo grande de Boas Festas.

Gisela:
Retribuo os votos de Festas Felizes!

Mar:
Olha que episódio giro, esse... O Chefe Silva e a nossa D.ª Lourdes Modesto são pedras basilares da nossa cozinha. Sabes que passava horas, desde pequena, a desfolhar os livros e as teleculinárias da minha mãe?... Puro fascínio! Gostava que provasses estes sonhos da minha mãe. Mais a aletria. E as rabanadas da I... A ver se sim!
Desejos de sonhos bons e doces... E descanso
PS. Amanhã o resto das coisas... Cansaço, por isso. Depois falamos!