quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Cantaril no Forno



Os primeiros dias frios de Outubro lembram que apetece comida que conforta. As manhãs e noites frescas instalaram-se e parecem querer dizer um adeus definitivo ao Verão. Numa ida às compras, o Cantaril ficou-me debaixo de olho... Os peixes "vermelhos" têm um sabor e textura especiais. E este cantaril, que se apresentou vistoso no momento da compra, revelou-se muito saboroso no resultado final. Enquanto preparava a composição fotográfica lembrei-me de uma aguarela pintada pelo meu pai, em que o peixe era rei e senhor, numa composição muito poética de uma natureza morta. Aqui fica o cantaril. O "verdadeiro" e o "retratado"...

Ingredientes

1 Cantaril grande
sal
azeite
1 folha de louro
noz-moscada
pimenta
fatias de chouriço
salsa fresca
tomilho fresco
sumo de meio limão

Preparação

Colocar o peixe, devidamente amanhado e com uns golpes feitos sem cortar a espinha,  num pirex de ir ao forno, com um fio de azeite no fundo. Temperar depois com um pouco de sal, uma folha de louro, noz moscada e um golpe de pimenta. Introduzir nos golpes uma fatia de bom chouriço (uso marca Montanheira) e salsa fresca. Salpicar com a folha de tomilho fresco. Espremer o sumo de meio limão e voltar a regar com um fio de azeite. Levar a assar em lume médio a brando, cerca de 40 min, e para não ficar seco, de vez em quando regar com o molho que se vai formando. O peixe assim preparado forma uma lasca grossa, muito saborosa. Acompanhar com batata cozida ou migas de batata e espinafres.
 
Bom Apetite!



8 comentários:

turistaocasional disse...

Apresentaste-me um peixe que desconhecia por completo, e de cujo nunca tinha ouvido falar.

Mas devo dizer-te que depois das devidas apresentações, o peixe "é muito bem parecido" e fiquei bem impressionada com a foram como de apresentou no teu assado no forno e no quadro pintado pelo teu pai.

Um parabéns especial também para o teu pai porque o retratou divinalmente.
Agora só me ficou a dúvida se herdaste também o jeito para a pintura do teu pai, pois se sim não conheço nenhuma das tuas obras, mas guardo com carinho, um postal com uma aguarela pintada pelo teu pai, que me foi oferecida por ti num dia especial.

Beijinhos

Fê Dayrell disse...

Também desconheço o cantaril, conheço o Vermelho, mas acho que não é o mesmo peixe.
O seu ficou com aparência deliciosa.
Bjo

Sofia.Lopez disse...

Peixe no forno é tão bom...esse cantaril que "saltou" do quadro para a mesa devia estar bem saboroso e aromático...imagino a delícia!

argas disse...

Gostei, adoro peixe!

Andreia disse...

Ola Babette:

Não conhecia esse peixe, mas parece-me excelente. E mais que o provar o quanto prazer não teria de ser possuidora dessa aguarela maravilhosa. E tenho que repetir os parabéns à filha e ao pai!
bjinho da Andreia

Babette disse...

Turista:
Nem um bocadinho de jeito para o desenho... esse gene não foi partilhado ;).

Fâ, Sofia e Argas:
Um peixe bom e bonito. No prato e no papel!

Andreia:
É um peixe muito saboroso. E concordo que a aguarela (como todas as outras do meu pai) é fantástica!

Babette

guida c disse...

Talentoso o seu pai!
E a Babette também a cozinhar ;)
Por aqui come-se muito cantaril. Adoro em sopa.
Abraço

Mar disse...

O cantaril é um peixe lindo. Com um quê de majestoso. Gosto sempre de os olhar nas bancas de peixe. E acho que nunca cheguei a trazer um para casa. As imagens são lindas. Fazem pensar em casa. Comida de casa. E gostei muito do olhar do teu pai sobre uma realidade tão simples. Tão de casa. Os melhores motivos acabam por ser mesmo esses, não é? Os que nos trazem a casa. Que fazem olhar para dentro.

Um beijo de bom fim-de-semana.

Mar