sexta-feira, 15 de abril de 2011

Pantagruel


De vez em quando, um regresso às origens. Ao primeiro livro de culinária que a minha mãe me ofereceu. Pouco depois de casar e até antes mesmo de eu saber que ia gostar tanto de cozinhar. Pareceu-me uma bíblia. Tão grande. "Que farei eu com isto?....", pensei. Primeiro, desfolhei-o, quase desinteressadamente. Depois "estudei-o" com atenção. Tanto trabalho que ali estava. Tanta organização. Tão disciplinado. Tão sistematizado. E serviu-me (e serve-me) de referência tantas e tantas vezes.... Um grande livro e um presente muito intuitivo da minha mãe....

12 comentários:

Manuela disse...

Querida Babette, também foi o meu primeiro livro de culinária, oferta da minha mãe! Sempre o encarei como a bíblia da culinária ;)
Beijinhos e bom fim de semana :)

Ilídia disse...

Também costumo "visitar" o meu com frequência. Tem boas receitas, boas dicas e, muito importante, vê-se que foi feito com amor. Parabéns pelo blogue. Gosto imenso. Um beijinho

Cidália disse...

Já estive para o comprar várias vezes, mas depois acabo sempre por desistir... acho que é da falta das fotografias... e também porque estou à espera de "herdar" o livro da minha sogra que é das versões bem antigas!
Beijinhos

Anónimo disse...

É a minha referência culinária. Dada pela minha mãe, na versão em 3 volumes. Antes, tinha sido 'O Meu Primeiro Livro de Cozinha', da Verbo, de onde ainda tiro a receita de bolo mármore e de gelado de morango...
Adoro, no Pantagruel, as citações de escritores sobre receitas e culinária...
Tudo o que fiz até hoje com base no Pantagruel saiu bem. Dá-me imensa segurança...
Um abraço,
Marta
Leça da Palmeira

EMPRESÁRIA DE SUCESSO disse...

Sem dúvida uma grande Bíblia na cozinha eu comprei o meu já a alguns anos...
Bj e bom-fim-de-semana:)

No Conforto da Minha Cozinha... disse...

Que belo livro este.

Mar disse...

Às vezes é assim. O primeiro olhar é imperceptível. Não sabemos o que fazer com as coisas preciosas, muitas vezes. Os livros ensinam tudo. Este em particular. Porque pressupõe tudo o há-de haver de partilha. Da felicidade que se adivinha nas páginas de um livro de cozinha.

Um beijo de fim-de-semana. Que seja de sol luminoso e doce.

Mar

ameixa seca disse...

Também o tenho mas comprei-o há uns anos. A única diferença é que o meu Pantagruel é folheado, como todos os livros devem ser ;)

Ana e São disse...

Eu também tenho o Pantagruel, o primeiro que tenho era da minha avó, já tem as folhas amarelas e algumas estão soltas, hà uns anos atrás comprei a actualização e tenho um Pantagruel novo e actualizado.

Paula Pacheco disse...

Com certeza todas nós temos alguma coisa do fundo do baú em que guardamos sejam elas receitas ou lembranças,
bjs
Paula

Sandra Barradas disse...

A minha mãe ligou-me esta semana a perguntar se eu tinha o este livro ou 'bíblia'.. como faço anos em Maio acho que vem por ai.
Lá em casa a minha avó era fã da Maria de Lurdes Modesto e a minha mãe da Laura Santos, esses são os livros que me lembro de ter sp lá na cozinha.

Bjinhos

Papinha Doce disse...

Este livro sempre me fascinou, não o conheço, mas já que dizes tão bem dele, talvez o peça para me oferecerem.

Beijo
Maria José