quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Não cabia tudo



Não cabia tudo aqui. Pareceu-me muito dizer as coisas de uma só vez. No regresso de um dia já tão cheio e emotivo, a mala repleta de mais mimos. Como se fosse preciso uma gota mais para ser melhor. Não era preciso. Não era preciso o saco de compras para eu poder ir ao mercado da próxima vez que houver Sul, nem a alfarroba, o mel, ou o licor. Nem tão pouco o doce de pêra de uma sogra que é um doce. Muito menos o pano de paragens longínquas que vai fazer uma mesa linda. Mas significou que em vários momentos eu lembrei alguma coisa a alguém. Só resta agradecer. E registar de que são feitos os dias felizes da "Festa de Babette"...


7 comentários:

vera ferraz disse...

Hum... que delícia ser presenteada assim. É bom saber que há coisas que não são influenciadas pela conjetura. A Amizade é uma delas :)

Ilídia disse...

Acabo de vir do blogue da Mar e de ler o carinho com que vos recebeu. Nota-se que a vossa amizade, apesar de recente, é muito especial. E a vossa felicidade contagia quem vos lê :)
Um beijo,
Ilídia

turistaocasional disse...

O bem com o bem se paga, é uma velha expressão popular, que para mim faz todo o sentido referir aqui.

Vocês as duas querem-se tão bem que se presenteiam da melhor forma possível, com o que de melhor tem para oferecer.

As pessoas de quem gostamos temo-las no coração e no pensamento, e por vezes sem motivo aparente, compramos-lhes algo apenas porque qd o vimos pensamos de imediato nelas.

Um brinde à vossa profunda e forte amizade, e que se prolongue sempre assim.

Beijinhos a ambas

Mar disse...

Sabes, é muito elementar. O mecanismo é o mesmo que fez com que me trouxesses uma AD de Itália. E bolinhos escolhidos com cuidado. Com esses presentes, foi assim. Ia vendo e lembrava-me. Ela há-de gostar disto. Ela ainda não tem. Coisas assim. Coisas para quem se quer bem.
E agora, há um cesto igual aos meus (que podes usar nas tuas compras de mercearia de bairro). Um tecido vindo da Guiné, para integrares nas tuas mesas étnicas. E coisas com sabores e aromas. Com a agitação do dia, esqueci-me de orégãos vindos do mercado de Lagos. Compro de maneira a poderem disseminar-se pelo ano inteiro. E fazem uma diferença enorme. Hei-de levar-tos, que ficaram cá.

Um beijo. Obrigada pelo teu texto com as emoções na dose certa, como diz o Vasco.

Mar

Babette disse...

Vera:
Estou até convicta que o amor e a amizade serão pedras elementares para resistirmos a este momento de crise!

Ilídia:
Obrigada ;) O melhor será o querermo-nos bem. E valorizarmos muito este encontro que a vida nos proporcionou.

Turista:
Vou confessar uma coisa à Mar. Quando estive em Munique tu levaste-me a uma loja de propósito para me mostrares uma coisa que achavas que a Mar gostava, lembras-te?.... É isso a amizade. A tua também ;)

Mar:
Isso... como falámos há dias. Aquelas coisas pequenas, de que são feitos os momentos felizes. No sábado de manhã vou à minha D.ª Alda buscar os legumes com o meu cesto novo. E vou lembrar-me (ainda mais) de ti! Um beijo ao Vasco ;) E outro para ti.
Babette

saborescomhistoria disse...

Cheira-me que alguém andou por estas paragens ;)
É bom assistir e ler a uma amizade assim.
Beijinho e bom fim.de.semana

lusitania disse...

Adoro alfarroba, pena que sou unica em casa :-))!