sexta-feira, 30 de Março de 2012

Bolo Mousse de Chocolate e Rum



Subverter esta receita de bolo mousse de chocolate. Com umas gotas de rum que fizeram deste um bolo adulto. Muito boa, a combinação, mais a frescura dos frutos vermelhos. Mirtilos, amoras e aquelas que têm um nome só por si delicioso: framboesas... Um bolo para um momento especial. Ou só para quando apetece muito chocolate...

Ingredientes

8 ovos
200 gr de chocolate culinário (usei com 70% de cacau)
130 gr de margarina sem sal
200 gr de açúcar
4 colheres de chá de farinha cheias
1/4 de cálice de rum
amoras, mirtilos e framboesas q.b.

Preparação

Untar com margarina e polvilhar com farinha uma forma com buraco. Derreter o chocolate com a margarina em banho maria, envolvendo bem. Bater as gemas com o açúcar até que estas dobrem de volume. Juntar o creme de chocolate às gemas e bater muito bem. À parte, bater as claras em castelo firme e envolver, delicadamente, no preparado anterior. Dividir o creme em duas partes iguais. A uma delas, juntar a farinha peneirada, e levar ao forno, previamente aquecido, no 160ºC por 25 minutos. À restante metade, adicionar o rum e envolver. Levar este creme ao frigorífico. Desenformar o bolo. Na hora de o servir, cobrir o bolo com o creme de chocolate e rum e enfeitar com amoras, mirtilos e framboesas.


Bom Apetite!



quarta-feira, 28 de Março de 2012

Tarte Salgada de Tomate e Anchovas



As tartes salgadas são uma óptima sugestão para uma refeição que se queira leve mas saborosa. Ou então para uma entrada de um jantar especial, com mais graça ainda se for servida em formato individual. As combinações são infinitas e podem ser surpreendentes. Como esta, em que a doçura do tomate e da cebola roxa casam perfeitamente com o toque salgado das anchovas e das azeitonas pretas. Mais um encontro feliz...

Ingredientes
(Adaptado do livro Two fat ladies - Full Trhottle)

1 base de massa quebrada fresca
1 cebola roxa
azeite
6 filetes de anchova em conserva
2 tomates de cacho
azeitonas pretas descaroçadas
1,5 dl de leite
4 ovos
queijo da Ilha ralado q.b.
sal e pimenta
salsa picada

Preparação

Forrar uma tarteira com a massa, picá-la e cozer por 10 minutos a 180ºC e reservar. Fatiar a cebola em rodelas bem finas e refogar no azeite por uns 5 minutos. Numa taça, bater os ovos com o leite e temperar com sal e pimenta. Sobre a massa, pré-cozida, espalhar a cebola, as rodelas de tomate, as azeitonas pretas e colocar um pouco de queijo da Ilha ralado. Verter a mistura de ovos e leite. Cortar cada filete em fatias finas e dispô-las na tarte. Levar a cozer, em forno pré-aquecido, nos 180ºC, por 25 minutos. Polvilhar com salsa picada e regar com um fio de azeite.

Bom Apetite!

 

segunda-feira, 26 de Março de 2012

Bolo de Morangos com Iogurte e Coco



Um bolo húmido delicioso. Morangos e coco, numa junção de sabores fresca e saborosa. Um bolo para celebrar os dias que vão passar a ser compridos e ainda mais luminosos. Um bolo para receber a Primavera!


Ingredientes
(adaptado desta receita, do blog Cravo e Canela)
 
4 ovos
250 gr de açúcar
100 ml de óleo 

1 iogurte natural + restante de leite até perfazer 200 ml
300 gr de morangos
50 gr de coco ralado
250 gr de farinha com fermento 


Preparação

Lavar e arranjar os morangos. Cortar os frutos em rodelas grossas e envolvê-los em metade do coco ralado. Bater os ovos inteiros com o açúcar até obter um creme esbranquiçado. Juntar o óleo, batendo bem. Acrescentar o iogurte e o leite, incorporando cuidadosamente e, de seguida, o resto do coco ralado. Adicionar a farinha já sem bater, mas misturando bem com a massa. Por fim, juntar os morangos envolvidos em coco, distribuindo por toda a massa. Levar a cozer em forno a 170º, sem pré-aquecer, numa forma de chaminé untada e polvilhada com farinha, por 50 minutos.

Bom Apetite! 

sexta-feira, 23 de Março de 2012

Petits Croissants du Tyrol para a Heidi

 

Está lançado mais um desafio. Convidar para jantar o nosso desenho animado favorito. Não tive a mais pequena sombra de dúvida. A Heidi viria jantar. Quando era miúda não perdia um episódio das aventuras e desventuras desta menina orfã, que foi viver com o seu avô nos Alpes. Lembro-me de chorar, em alguns momentos comoventes, ou de pensar, noutras ocasiões, como deveria ser bom correr naquelas montanhas e brincar com as cabrinhas. Para jantar, serviria alguma coisa simples mas reconfortante. Talvez uma sopa, primeiro. Um assado de carne, em seguida. E, para finalizar, uma fatia de bolo de chocolate, que criança que se preze vai sempre gostar de chocolate. No final da refeição, serviria um chá suave com uns pequenos biscoitos a acompanhar. Uns Petits Croissants du Tyrol, que a minha pequena convidada dos Alpes devoraria em três tempos!...

 Ingredientes

(Receita do Livro"Souvernirs Gourmands", uma destas leituras saborosas. O formato dos biscoitos foi adaptado em função deste vídeo muito esclarecedor)

Para 30 biscoitos

150 gr de farinha
50 gr de farinha de amêndoa
100 gr de manteiga amolecida
1 gema de ovo
50 gr de açúcar em pó

Preparação

Amassar bem a farinha com a manteiga amolecida. Juntar a farinha de amêndoa e a gema de ovo e continuar a amassar até obter uma massa homogénea. Reservar no frigorífico. embrulhada em película, por 30 minutos a 2 horas. Estender a massa com a palma as mãos até obter um rolo estreito e comprido. Fatiar em 30 rodelas de 1 dedo de espessura. Com a palma da mão, tender cada pedaço num rolinho fino e, com as mãos, moldar em forma de meia lua. levar a forno pré-aquecido, no 180ºC, por 12 a 15 minutos. Ainda quentes, passá-los por açúcar em pó, sacudindo o excesso.

Bom Apetite!


 Participação no 3º Desafio do "Convidei para Jantar"

quarta-feira, 21 de Março de 2012

Sopa de Espigos

 
Da Serra vieram também espigos frescos. Muito saborosos. Uma parte generosa foi transformada numa reconfortante sopa. Com uma base muito simples, para realçar o seu sabor. Mais uma vez esteve à mesa a minha Mar. Numa sopa.

Ingredientes

4 batatas médias
2 cebolas grandes
1 alho francês
caldo de legumes 
1 molho de espigos
sal
azeite

Preparação

Cortar muito pequeninos todos os legumes, com excepção dos espigos. Cobrir com caldo de legumes e levar a cozer por 30 minutos. Triturar muito bem com a varinha mágica, até ficar uma base cremosa. Rectificar o sal, se necessário, e juntar os espigos. Deixar cozer por mais 15 minutos, ou até se apresentarem bem cozidos. Regar com um fio de azeite.

Bom Apetite!


segunda-feira, 19 de Março de 2012

Tarte de Maçã com Passas e Avelãs no Dia do Pai



Uma boa tarte de maçã é sempre um bom prenúncio... Cheiros reconfortantes, sabores conciliadores. Esta então é uma delícia... A minha mãe trouxe-me uma base de massa folhada e disse-me: "é para fazeres uma sobremesa para amanhã". Havia maçãs, havia passas, havia avelãs. Havia vontade de preparar um creme pasteleiro. Fez-se uma sobremesa deliciosa!... Para comer hoje, por exemplo, enquanto se dá muitos beijinhos aos pais...

Ingredientes

1 base de massa folhada fresca
2 maçãs golden
2,5 dl de leite
1 pau de canela
1 casca de limão
50 gr de açúcar
1 colher de sopa bem cheia de farinha maizena
1 ovo
1 gema
50 gr de avelãs moídas
25 gr de passas
sumo de limão
doce de pêssego diluído num pouco de água
margarina para untar

Preparação

Untar uma tarteira com um pouco de margarina, forrar com a base de massa folhada e levar a forno, pré-aquecido, a 180ºC, por 7 a 10 minutos. Retirar do forno e reservar. Preparar o creme pasteleiro da seguinte forma: num fervedor, levar o leite ao lume com o pau de canela e a casca de limão até ferver. Retirar do lume. Num tachinho, misturar bem com uma colher de pau o açúcar, a farinha e os ovos. Deitar sobre esta mistura o leite quente, em fio, batendo sempre com a colher de pau. Levar de novo ao lume, mexendo sempre vigorosamente e raspando o fundo do tacho apenas até que levante fervura. Deitar num recipiente para que arrefeça. Cobrir a base de massa folhada com o creme. Por cima deste, colocar as passas e as avelãs. Dispor as fatias de maçã em meias luas. Pincelar com um pouco de doce de pêssego diluído com um pouco de água e deitar umas gotas de limão. Levar a forno pré-aquecido, a 180ºC, por 20 a 25 minutos. Retirar do forno e, ainda quente, pincelar com mais doce de pêssego diluído em água.

Bom Apetite!




sexta-feira, 16 de Março de 2012

Pequeno Almoço


É a minha refeição favorita, de longe. O pequeno-almoço. Porque com ele se começa o dia. E todos os dias podem ser bons. Estão em branco e prontos a ser vividos. Poder agradecer mais um dia será o melhor dos começos. Acordo sempre com fome, e tomar o pequeno-almoço em casa é-me particularmente gratificante. Especialmente ao fim-de-semana, em que há mais tempo para saborear o início de dia. Em que podemos estar juntos, em família, e fazer perdurá-lo enquanto se folheia o jornal ou se lê um livro. No domingo passado o meu pequeno-almoço veio de longe. Pelas mãos generosas da minha amiga Mar. Dela veio o pão da D. Alice, o iogurte e o queijo fresco de ovelha do amigo da Serra, o aromático chá orgânico de limão com gengibre, o mel das abelhas do pai. Até o livro veio em forma de (mais um) presente das mãos da minha amiga. A partilha generosa da minha Mar trouxe-me o pequeno-almoço de domingo. Que eu saboreei enquanto agradecia, em silêncio, a dádiva da amizade.


quarta-feira, 14 de Março de 2012

Tarte Queijada de Maracujá

 


Uma sobremesa em três tempos. Uma queijada gigante com o toque ligeiramente ácido do maracujá. A sobremesa escolhida para levar para a casa destes amigos...

Ingredientes
(Adaptado do site Sabor Intenso)

1 base de massa folhada de compra
6 ovos
1 lata de leite condensado (usei light)
380 ml de sumo de maracujá
1 iogurte natural + leite até perfazer 200 ml

Preparação
 

Forrar uma tarteira com a massa, picá-la e cozer por 10 minutos a 180ºC. Reservar. Numa taça, bater com uma vara de arames os ovos, o leite condensado e o sumo de maracujá. Adicionar o iogurte com o leite e misturar bem. Levar a cozer, em forno pré-aquecido, nos 180ºC, por 30 minutos ou até se apresentar bem dourada.

Bom Apetite! 

segunda-feira, 12 de Março de 2012

O que era para ter sido.



O que era para ter sido um almoço para festejar o meu aniversário, no final de Janeiro, acabou por ser um almoço quase de Primavera. Muito terno, com muita amizade. Chegamos e os braços já estão abertos à nossa espera. Com abraços literais e tilintares de copos no ar. "Venham já já enquanto as entradas estão quentinhas" - diz a Mar. Respiramos o ar da serra e retomamos as conversas que parece terem sido interrompidas apenas ontem. Depois uma mesa. Um dos presentes do meu aniversário, uma das mesas da Mar. Com os seus pratos ingleses lindos. Flores. E a flor. A minha flor preferida, colhida para esta mesa: uma magnólia branca, majestosa na sua simplicidade.




E então o resto dos presentes. A comida. Não sei como foi possível a Mar ter adivinhado o que apetecia nesse dia. Ou até sei. Que é atenta, a minha amiga. E percebe nas entrelinhas o nosso gosto e o nosso encantamento. Uma sopa de espigos deliciosa. Um gratinado de pescada e camarão que me fez repetir, só para poder saboreá-lo mais um bocadinho. Rabanadas acabadas de fazer, com mais um "sentem-se agora que as rabanadas estão quentinhas". Obrigada, querida Mar. Fico com a certeza de que afinal o nosso aniversário também pode ser quando quisermos. O que era para ter sido, afinal, foi.


sexta-feira, 9 de Março de 2012

Jantar com Amigos


Depois de os receber aqui, de sermos recebidos pelo D. e a X., seguiu-se a vez de serem anfitriões a S. e o P. Num sábado ao jantar, numa casa muito linda. É sempre bom estar com amigos. Momentos de convívio saborosos em torno da mesa...



Houve Pastéis de Massa Philo com Queijo e Alheira (deliciosos!...), Arroz de Pato e Doce d'Avó. A X. levou a Salada e eu uma Tarte Queijada de Maracujá. Obrigada, queridos amigos!...



quarta-feira, 7 de Março de 2012

Bebinca para um Chef


Confesso que fiz batota nesta participação... Em vez de escolher a receita que prepararia para um determinado Chef, resolvi pensar a que Chef serviria uma bebinca. A bebinca é uma sobremesa indo-portuguesa deliciosa. Composta por 7 camadas (pelo menos!...), é uma sobremesa que requer tempo e paciência. Mas que compensa, em cada dentada...

Escolhida então a receita, o Chef. Tinha por objectivo convidar para jantar um cozinheiro português. E enquanto matutava quem, lembrei-me de um dos meus livros de culinária predilectos: o livro do Mestre João Ribeiro, o famoso Chef de cozinha do Hotel Aviz. É um livro pequeno, sem fotos ilustrativas das receitas apresentadas e, no entanto, é um livro cativante do princípio ao fim. Uma preciosidade.


Nascido em 1905, no concelho de São Pedro do Sul, João da Cruz Ribeiro veio para Lisboa com treze anos, para casa de uns primos. Iniciou a sua vida profissional como carregador de Carvão, numa mercearia do Poço do Bispo. Em 1921, iniciou-se na Arte da cozinha ao ingressar na brigada de cozinheiros franceses do Suíço-Atlântico Hotel da Rua da Glória.  O seu talento foi reconhecido e passou a trabalhar com o Chef Clement Paurceau, no restaurante Tavares Rico. Depois de passar por outros hoteis e restaurantes de renome chega, em1934, ao Hotel Aviz, alcançando aí um elevado reconhecimento.  O Hotel Aviz representava um dos mais emblemáticos hoteis da cidade de Lisboa. Era frequente a presença do então Chefe do Governo Oliveira Salazar, sendo o restaurante escolhido para muitos banquetes de Estado e outras cerimónias. Outro hóspede famoso do Hotel (e residente) foi Calouste Gulbenkian, que viveu no Hotel até à sua morte.



O livro, organizado por José Quitério, retrata episódios muito curiosos dessa época. As receitas que apresenta são interessantíssimas e comprovam que o Mestre João Ribeiro recriou e valorizou uma série de receitas portuguesas. A alta-cozinha aparece aqui em todo o seu esplendor, com um toque bem português na escolha dos ingredientes e no modo de confecção. Mas há também muitas receitas francesas, alemãs e de antigas colónias portuguesas. Chutneys e outros molhos. Sopas e Vichyssoises. Ingredientes exóticos e especiarias.



Daí que me atreva a servir uma bebinca ao Mestre João Ribeiro... Enquanto a saboreávamos, conversaríamos sobre esses outros tempos e, pegando nas histórias que vêm contadas no seu livro, procuraria saber mais sobre os faustos banquetes que preparava...

Ingredientes 

(Adapatado da receita do blog Mimos de Amigos) 

6 cardomomos
400 gr de açúcar
4oo ml de leite de coco
300 gr de farinha
manteiga q.b.
10 gemas
 
Preparação

Bater muito bem o açúcar com as gemas até duplicar de volume. Juntar o leite de coco e os cardomomos pisados e bater mais um pouco. Misturar a farinha e bater muito bem. Barrar um forma redonda e lisa com manteiga, deixando uma boa camada no fundo. Levar ao forno para aquecer a forma, a 180ºC. Retirar a forma do forno e deitar uma porção do preparado a cobrir o fundo da forma. Levar ao forno para cozer com o lume por cima (função "gratinar"). Quando ficar loura, retirar do forno e deitar nova camada. Repetir o procedimento sucessivamente, até se obterem 7 camadas. Depois de pronto, desenformar para um prato de servir.
 

Bom Apetite!

  
 Participação no 2º Desafio do "Convidei para Jantar"

segunda-feira, 5 de Março de 2012

Tarte de Espargos com Queijo de Cabra e Avelãs


Esta tarte é deliciosa e prometo repeti-la vezes sem conta. A combinação de ingredientes é simples mas surpreendente. Avelãs, queijo de cabra, cebola roxa e espargos resultam numa tarte cheia de sabor. Para uma refeição leve, acompanhada de uma boa salada, ou para uma entrada de um almoço ou jantar mais especial...

Ingredientes
(Adaptado do livro What's cooking - Baking)

1 base de massa quebrada fresca
1 cebola roxa
1 fio de azeite
140 gr de queijo de cabra
25 gr de avelãs
175 gr de espargos verdes
2 dl de leite
3 a 4 ovos
sal e pimenta

Preparação

Forrar uma tarteira com a massa, picá-la e cozer por 10 minutos a 180ºC e reservar. Arranjar os espargos e levar a cozer em água com um pouco de sal por 3 a 4 minutos. Escorrer e reservar. Partir a cebola em rodelas bem finas e refogar no azeite por uns 5 minutos. Numa taça, bater os ovos com o queijo esfarelado, juntar o leite e temperar com sal e pimenta. Sobre a massa, pré-cozida, espalhar a cebola, as avelãs moídas grosseiramente e os espargos partidos em pedaços grandes. Verter a mistura de ovos, queijo e leite. Levar a cozer, em forno pré-aquecido, nos 180ºC, por 25 minutos.
 

sexta-feira, 2 de Março de 2012

XL



Um sítio que era para experimentar. E registar mais um sítio em Lisboa para comer bem. Com souflès, bifes e desta vez até um peixe assado à portuguesa, que ao meu rapaz não apetecia carne. Sítio bonito e decoração cuidada, com tanto de charmoso como de descontraído. Movimentado e cheio de vida. Em tamanho XL, então.    



Souflè de Bacalhau


Robalo assado à portuguesa


Crumble de Maçã com Gelado de Baunilha