segunda-feira, 30 de Janeiro de 2012

Babette convida ... Babette


Se a Babette convidasse uma personagem de um livro ou de um filme para jantar, essa personagem seria, naturalmente, Babette!... A Babette do conto de Karen Blixen, ou a do filme de Gabriel Axel, que ganhou, em 1987, o Óscar para o melhor filme estrangeiro. 

Babette (no filme, Stéphane Audran), a personagem central desta história, refugia-se da guerra que assola a França, na casa de duas irmãs recatadas e solteiras, Martina e Philippa, filhas do então falecido Pastor, uma pessoa tão importante quanto austera e que marcou a vida de muitos dos seus habitantes. A vida nessa vila recôndita da Dinamarca é muito regrada e inóspita, confinada a meia dúzia de habitantes de provecta idade que mantêm entre si e há muitas décadas acesas divergências. Babette recebe guarida das duas irmãs e, em troca, oferece-se para tratar da limpeza e da cozinha da casa. Os hábitos culinários dos habitantes da vila são escassos e parcos. Dir-se-ia considerarem pecado obter prazer pelo acto de comer. Os dotes culinários de Babette não parecem ser suficientes para alterar a alimentação insípida que caracteriza a rotina dos habitantes, ainda que vá conseguindo imprimir pequenas diferenças. Até que um facto inesperado (soube, de França, que havia ganho um prémio na Lotaria) lhe permite oferecer um jantar às duas irmãs e aos restantes habitantes da vila, a propósito das comemorações pelos 100 anos sobre o nascimento do Pastor, e em reconhecimento do acolhimento que recebeu. Tudo, a partir daí, se transforma. Pela maestria com que é preparado o jantar e pelo requinte com que é servido. Pela eloquência dos detalhes e a riqueza dos sabores que são dados a provar. Só aí é revelada (ou melhor, "reconhecida") a verdadeira Babette. Os rostos dos convidados são suavizados, as divergências resolvidas, o pecado da gula perdoado. Cenas belíssimas e cheias de sensibilidade à volta de uma mesa.

Pensei receber a Babette no momento em que ela estaria a enquadrar-se naquela nova vida. Desinteressante pelas rotinas e pelos sabores que estava autorizada a preparar. Mas com a inata vontade de introduzir cor, textura e sabor aos poucos pratos que ia preparando. Para a receber de forma reconfortante, uma sopa. Que é um abraço em forma de comida. E uma sopa que ela pudesse, timidamente, ir introduzindo nas refeições que preparava às duas irmãs. Por certo as duas senhoras não iriam recusar um creme de aipo. Que ela abrilhantaria com umas lascas de queijo das Ilhas, uns pinhões tostados e uma generosa dose de salsa picada.



Fui buscar um prato de sopa da casa da minha bisavó, porque sei que a Babette apreciaria o gesto. Que por ela se deve celebrar a vida e o quotidiano, com o que temos de bom, bonito e saboroso. Está servida a sopa, Babette. Fumegante à tua espera...



Creme de Aipo com Queijo das Ilhas e Pinhões Tostados, para participar no desafio da Ana.

Ingredientes

3 cenouras (usei biológicas)
1 batata grande
2 cebolas grandes
1 couve pequena
1 nabo pequeno
3 talos de aipo e a respectiva rama (usei biológicos)
cerca de 1 litro de caldo de legumes
sal, azeite q.b.

Queijo das Ilhas
Pinhões
Salsa picada

Preparação

Cortar todos os legumes finamente, cobrir com o caldo de legumes (o necessário para cobrir todos os legumes) e levar a ferver, reduzindo depois o lume e deixando cozinhar por cerca de 40 minutos. Reduzir a puré com a varinha mágica. Rectificar o sal, se necessário, e adicionar um fio de azeite. Numa frigideira quente, tostar uma mão cheia de pinhões e reservar. Lascar umas fatias de queijo das Ilhas. Servir a sopa bem quente, com o queijo e os pinhões tostados. Polvilhar, generosamente, com salsa picada. 

Bom Apetite!

quarta-feira, 25 de Janeiro de 2012

Calendário



Uma oferta muito original da minha amiga T., uma das visitantes mais assíduas da minha Festa. Um calendário gastronómico, para me ajudar a planear as entradas do Blog, atendendo às sugestões da época... Quero fazer bom uso dele!...


segunda-feira, 23 de Janeiro de 2012

Bolo de Laranja com Iogurte e Canela


Tomei de novo de empréstimo a cozinha da minha mãe, e preparei um bolo para o fim-de-semana. Não há forma melhor de iniciar esses dois dias de descanso... O cheiro de bolo no forno, a lembrar que o pequeno almoço vai ser diferente. Este a saber muito a laranja. Muito cítrico e refrescante. Muito bom!

Ingredientes
(Adaptado do Blog Doçuras e Especiarias)

7 ovos
300 gr de farinha
250 gr de açúcar
150 ml de óleo
sumo e raspa de 2 laranjas
1 iogurte grego natural (não açucarado)
1 colher de chá de canela
2 colheres de chá de fermento em pó
1 pitada de sal
margarina para untar
farinha para untar

Preparação

Começar por untar uma forma grande com margarina e farinha.
Numa tigela larga, bater o açúcar e as gemas até obter um creme homogéneo e esbranquiçado. Depois juntar o sumo e a raspa das laranjas, o iogurte, a canela e a pitada de sal, a farinha peneirada com o fermento, o óleo e envolver bem. Bater as claras em castelo e envolver delicadamente na massa. Levar ao forno que não deve ser pré-aquecido, a 170ºC por cerca de 50 minutos.
 
Bom Apetite!



terça-feira, 17 de Janeiro de 2012

The Yeatman




Foi um almoço inesquecível, num dia de Dezembro muito especial. O dia em se concretizou o fim de um ciclo, que merecia ser celebrado. Para festejar esse dia e, literalmente, com os olhos postos no futuro, o The Yeatman, em Vila Nova de Gaia. Um restaurante que nos oferece o Porto, a seus pés, numa vista deslumbrante sobre a cidade que é nobre e sentida, carregada de granito e vida. Inesquecível. E uma viagem magnífica por sabores delicados...


Creme aveludado de aipo e nabo com ragout de cogumelos,
almôndega de cabrito trufado e azeite virgem

 Tártaro de Bonito com tentáculos de chocos 
em tempura e carpaccio vegetal


Peixe Galo com escamas de cogumelos, cebolinhas 
e molho de crustáceos com manteiga de coral

Peito de galo capão lacado com citrinos e coxa confitada, 
batata ratte, endívia balsâmica e molho de laranja

Gelado de chocolate, banana caramelizada, 
strudel de café e jus de cacau


quinta-feira, 12 de Janeiro de 2012

Scones com Canela


O ano começou com um encontro de amigos, em jeito de Festa dos Reis. Um lanche saboroso, na casa de amigos muito queridos que cedem (praticamente sempre) a sua casa para que nos possamos juntar todos... Tomei de empréstimo a cozinha da minha mãe e ofereci-me para levar scones para esse encontro. Uns scones com canela, para fazer lembrar a Quadra que agora terminou. Quando cheguei, a M. tinha-me reservado um prato lindo para os colocar. Foi impossível não os fotografar, rodeados de flores...

Ingredientes (para 30 mini-scones)

450 gr de farinha
2 colheres de chá rasas de fermento
70 gr de açúcar
1 colher de café de canela
1 pitada de sal
100 gr de margarina gelada, em pedacinhos
250 gr de iogurte natural (usei grego)
1 gema de ovo

Preparação

Numa taça, peneirar a farinha, juntar o fermento, o açúcar, a canela e o sal. Adicionar os cubinhos de margarina e, com as pontas dos dedos, misturar bem até obter uma farofa grossa. Abrir um buraco e, no meio, colocar o iogurte. Mexer primeiro com uma faca, do meio para fora, até ligar um pouco os ingredientes. Amassar então com as mãos, só até obter uma massa homogénea e moldável. Espalmar a massa com a palma da mão e, com um cortador ou com o bordo de um copo pequeno ou de um cálice, cortar discos de massa. Colocá-los num tabuleiro que primeiro foi forrado com papel vegetal. Pincelá-los com gema de ovo. Levar a forno quente (180ºC) por 13 minutos. Deixar esfriar numa rede de bolos. Servir mornos.

Bom Apetite!


segunda-feira, 9 de Janeiro de 2012

Saudade.


As Festas já acabaram. O ano já começou. A romã da foto já não existe. Preparam-se listas e objectivos . E vive-se. Com um pequeno sentimento de ausência. Saudade deste espaço que a espera para a nova casa obrigou a interromper.  E é por vezes na ausência que se percebe a importância de uma pessoa, de um lugar ou de um quotidiano. O meu quotidiano sente a falta da Festa de Babette e de todos os que aqui se reunem. Por isso virei de vez em quando, só para minimizar um pouco as saudades. E dizer que está tudo bem, fora o facto de não ter casa nem cozinha!… Por enquanto!


domingo, 1 de Janeiro de 2012

2 anos.



Foi uma coincidência. Que no fundo resultou de ter sido uma resolução de ano novo. Mas será sempre engraçado começar um Ano e festejar o aniversário da "Festa de Babette". 2 anos completos, no dia em que começa 2012. O ano de 2011 trouxe muitas coisas boas. Claro que nem todos os dias são feitos de alegria, mas há que fazer perdurar as memórias dos que nos acrescentaram. É apenas viver e o que isso pressupõe. No blog, sucederam-se momentos de convívio, ementas, mesas, receitas quotidianas e de festa. Idas a restaurantes e outros pequenos registos. Um ano cheio. Na vida real, o ano trouxe o projecto (literal) de uma nova morada, com uma nova cozinha. No momento em que vos escrevo, tenho a minha casa encaixotada e espero essa mudança, que a casa nova ainda não está pronta... E como, pelo menos nesse aspecto, a cozinha real comanda a virtual, o blog terá de ter a sua pausa, até que pessoas, tachos e panelas estejam instalados. Até breve. Um ano feliz...