segunda-feira, 31 de Outubro de 2011

Scones com Passas e Gengibre




Para um lanche de aniversário o que levar?... Duas dúzias de scones de passas e gengibre. Parabéns F.! E as maiores felicidades...

Ingredientes (para 24 scones)

450 gr de farinha
2 colheres de chá rasa de fermento
70 gr de açúcar
1 colher de chá de gengibre moído
1 pitada de sal
100 gr de margarina gelada, em pedacinhos
250 gr de iogurte natural (usei grego)
50 gr de passas
1 gema de ovo


Preparação

Numa taça, peneirar a farinha, juntar o fermento, o açúcar, o gengibre e o sal. Adicionar os cubinhos de margarina e, com as pontas dos dedos, misturar bem até obter uma farofa grossa. Abrir um buraco e, no meio, colocar o iogurte. Mexer primeiro com uma faca, do meio para fora, até ligar um pouco os ingredientes. Amassar então com as mãos, juntando nesta altura as uvas passas, só até obter uma massa homogénea e moldável. Espalmar a massa com a palma da mão e, com um cortador ou com o bordo de um copo, cortar discos de massa. Colocá-los num tabuleiro que primeiro foi forrado com papel vegetal. Pincelá-los com gema de ovo. Levar a forno quente (180ºC) por 13 a 15 minutos. Deixar esfriar numa rede de bolos. Servir mornos.

Bom Apetite!



sexta-feira, 28 de Outubro de 2011

Arroz de Bacalhau de Forno


As iscas de bacalhau da sogra foram acompanhados por este belíssimo arroz de bacalhau de forno. Feito em alguidar de barro e bom azeite. Uma refeição tradicional portuguesa que condiz bem com o Outono....

Ingredientes


1 tigela de arroz Pato Real agulha
2,5 tigelas de água
1 posta de bacalhau desfeita em lascas
1 cebola grande
azeite q.b.
piripiri moído
salsa
sal


Preparação


Num tacho refogar uma cebola grande picada finamente com bastante azeite. Juntar um pouquinho de piri-piri moído e o bacalhau. Deixar refogar um pouco mais. Juntar a água, um pouco de sal e salsa picada e deixar ferver. Num alguidar de barro deitar o arroz e cobrir com a calda a ferver. Levar ao forno, pré-aquecido, por 45 minutos ou até que se apresente bem cozido. 


Bom Apetite! 

quinta-feira, 27 de Outubro de 2011

Iscas de Bacalhau da Sogra


Como ontem disse, o Tiramisú foi a sobremesa que levei para um almoço nos sogros. A minha sogra faz comida tradicional portuguesa muito saborosa. Como estas Iscas de Bacalhau, que diferem das pataniscas por não se misturar o bacalhau no polme. Foi difícil obter a receita, porque por lá é tudo a olho, mas fizemos os possíveis. As duas. Por isso aqui fica a receita das iscas de bacalhau da sogra. Que foram acompanhadas com um belíssimo arroz de bacalhau de forno. Soube-me tão bem, que quase não era preciso o Tiramisú para "puxar para cima"!... Bastaram as iscas da sogra!...


Ingredientes (para 4 pessoas)


1 posta grande de bacalhau
farinha
água
1 ovo
salsa
sal e pimenta
azeite ou óleo para fritar


Preparação


Limpar o bacalhau de peles e espinhas e lascá-lo. Numa taça preparar um polme com farinha, água e um ovo. A consistência deve ser nem muito líquida nem muito espessa (pode ir-se rectificando juntando mais água ou mais farinha conforme se pretenda tornar o polme mais ou menos líquido). Mexer bem com um garfo até que o polme se apresente uniforme e sem grumos. Temperar com um pouco de sal e pimenta e juntar salsa picada, a gosto. Numa frigideira aquecer bem o azeite ou o óleo (o suficiente para cobrir o fundo da frigideira com um dedo de altura) e deitar uma colher de servir de polme. Deixar fritar por uns segundos. Assim que começa a borbulhar, juntar lascas de bacalhau e dobrar a massa em envelope ou como se fosse uma omolete. Virar apenas para acabar de cozinhar homogeneamente e ficarem douradas. Retirar e escorrer sobre papel absorvente. Servir com arroz de bacalhau de forno. Cuja receita vem amanhã...


Bom Apetite!

quarta-feira, 26 de Outubro de 2011

Tiramisú




O seu significado literal é "puxa-me para cima". Uma sobremesa clássica italiana que conforta e sabe muito bem. Queijo, café, rum e cacau. Numa delicada combinação. Para comer nos dias de festa, ou nos dias em que simplesmente é preciso um doce para animar!... Este em particular foi feito para levar para um almoço na casa dos meus Sogros. Não era dia de festa, nem era preciso propriamente um doce para animar. Mas apeteceu. Para celebrar o quotidiano com um doce de colher... 


Ingredientes
(Receita ligeiramente adaptada da Laranjinha)


3 ovos
3 colheres de sopa de açúcar
250 gr de queijo mascarpone
2,5 dl de café forte frio (2 nespressos lungos)
1/2 cálice de rum + umas gotas de rum para o creme
200 gr de savoiardi ou pavesini (ou biscoitos de champanhe)
cacau em pó


Preparação


Preparar o café, misturar com o rum e deitar numa travessa larga para arrefecer. Separar as gemas das claras. Bater as gemas com o açúcar até obter uma mistura espessa. Adicionar o mascarpone e mexer bem até o creme ficar homogéneo. Juntar umas gotas de rum. Bater as claras em castelo e envolver no preparado do queijo, delicadamente. Embeber com cuidado os biscoitos no café com o rum e forrar um recipiente. Colocar um pouco de creme. Colocar outra camada de biscoitos embebidos e outra camada de creme. Colocar uma terceira camada de biscoitos embebidos. A última camada de creme e alisar a superfície. Polvilhar com cacau em pó. Levar ao frigorífico e servir bem fresco.


Bom Apetite!



terça-feira, 25 de Outubro de 2011

Mais Livros de Culinária...


Gosto do estilo despreocupado e da comida saborosa e bonita que apresenta. Das fotos que acompanham os seus livros, das louças Bordallo Pinheiro, dos talheres bonitos mas muito usados que aparecem fotografados. Gosto desta tentativa de arrumação em função do "tempo que se tem para preparar a comida", ou do "orçamento disponível" ou simplesmente de "dias". Um certo guia de como se pode agir e comer bem nos dias que correm. Manuais de simplificação, em alguns sentidos. Mas gosto sobretudo de ter em casa diferentes opções no que toca a livros de culinária. Para os dias em que apetece um "depressa e bem" sem o necessário "há pouco quem"... Ou para os dias em que apetece simplesmente folhear livros de culinária. Como aconteceu com os livros da Mafalda Pinto Leite...

segunda-feira, 24 de Outubro de 2011

Empadas de Camarão


Gosto de receitas trabalhosas, de ter de começar de véspera a fazer um recheio e de pôr literalmente a mão na massa. Nem sempre apetece ou posso dedicar tanto tempo à cozinha. Mas quando sim, a minha receita de empadas de camarão sai do caderno e ganha vida. Numas saborosíssimas empadas de camarão. Para comer com prazer.

Ingredientes

Massa
250 gr de farinha
125 gr de margarina
2 gemas de ovos
10 colheres de sopa de água
sal qb
1 gema para pincelar

Recheio
400 gr de camarão
1 cebola média picada
1 dente de alho picado
salsa picada
2 colheres de sopa de margarina (40 gr)
1 del d eleite
2 dl da água de cozer o camarão
2 colheres de sopa de farinha
sumo de 1/4 de um limão
sal e noz-moscada qb

Preparação

Massa: Numa tigela, colocar a farinha e as gemas. Amassar ligeiramente. Levar ao lume um tachinho com a margarina, a água e o sal, em lume brando. Depois da margarina derreter, sem que ferva, deitar sobre a farinha e as gemas. Amassar bem e descansa por 30 minutos.
Recheio: Cozer os camarões em pouca água, com sal, e descascar. Reservar a água da cozedura. Passar as cascas e as cabeças pelo passe-vite. Misturar esse suco com as cascas pisadas e a água de cozer o camarão e levar a ferver por 3 minutos. Coar de seguida o caldo e reservar. Num tacho, colocar a cebola, o alho e a margarina. Depois de refogar um pouco, polvilhar com a farinha e mexer bem até obter uma bola que se desprende do tacho. Regar, aos poucos, com o leite misturado com o caldo. Deixar o creme cozer e engrossar um pouco, mas sem ser demasiado. Fora do lume, envolver os camarões e temperar com sal, limão, salsa e noz-moscada. 
Montagem: Untar 22 formas pequenas com margarina. Cortar discos de massa maiores, forrar as formas e colocar nelas 2 colheres de chá de recheio. Cobrir com um disco de massa mais pequeno, unir bem as bordas e pincelar com gema de ovo. Levar ao forno pré-aquecido, a 170ºC, por 18 a 20 minutos.

Bom Apetite!

sexta-feira, 21 de Outubro de 2011

Linguini Nero com Camarão e Pimentos



Uma comida saborosa: massa e um qualquer molho. Este com camarão e pimentos ficou muito saboroso e foi uma forma de aproveitar um pimento verde que andava há demasiado tempo no frigorífico. Comida simples mas que satisfez. Muito!

Ingredientes

Linguini Nero
azeite
1 cebola
1 pimento verde
1 tomate fresco (cortado em cubinhos, reservando metade para o final)
1/2 embalagem de polpa de tomate
1 colher de café de massa de pimentão
sal, noz-moscada, louro moído
1 pouco da água de cozer a massa
300 gr de miolo de camarão cozido
folhinhas de manjericão

Preparação

Cozer a massa em água e sal, conforme as indicações da embalagem e de forma a fica al dente. Escorrer e reservar, guardando um pouco da água de cozedura. Refogar o azeite e a cebola e juntar o pimento verde aos cubinhos. Juntar o vinho branco e apurar uns minutos. Adicionar 1/2 do tomate fresco e a polpa de tomate. Temperar com sal, noz-moscada e louro moído e refogar por mais uns 10 a 15 minutos, acrescentando a meio o camarão e um pouco de água de cozer a massa, se necessário. Envolver a massa no molho, e servir com o restante tomate fresco e folhinhas de manjericão. Regar com um fio de azeite e servir de imediato!
Bom Apetite!


quinta-feira, 20 de Outubro de 2011

Cantaril no Forno



Os primeiros dias frios de Outubro lembram que apetece comida que conforta. As manhãs e noites frescas instalaram-se e parecem querer dizer um adeus definitivo ao Verão. Numa ida às compras, o Cantaril ficou-me debaixo de olho... Os peixes "vermelhos" têm um sabor e textura especiais. E este cantaril, que se apresentou vistoso no momento da compra, revelou-se muito saboroso no resultado final. Enquanto preparava a composição fotográfica lembrei-me de uma aguarela pintada pelo meu pai, em que o peixe era rei e senhor, numa composição muito poética de uma natureza morta. Aqui fica o cantaril. O "verdadeiro" e o "retratado"...

Ingredientes

1 Cantaril grande
sal
azeite
1 folha de louro
noz-moscada
pimenta
fatias de chouriço
salsa fresca
tomilho fresco
sumo de meio limão

Preparação

Colocar o peixe, devidamente amanhado e com uns golpes feitos sem cortar a espinha,  num pirex de ir ao forno, com um fio de azeite no fundo. Temperar depois com um pouco de sal, uma folha de louro, noz moscada e um golpe de pimenta. Introduzir nos golpes uma fatia de bom chouriço (uso marca Montanheira) e salsa fresca. Salpicar com a folha de tomilho fresco. Espremer o sumo de meio limão e voltar a regar com um fio de azeite. Levar a assar em lume médio a brando, cerca de 40 min, e para não ficar seco, de vez em quando regar com o molho que se vai formando. O peixe assim preparado forma uma lasca grossa, muito saborosa. Acompanhar com batata cozida ou migas de batata e espinafres.
 
Bom Apetite!



quarta-feira, 19 de Outubro de 2011

Chien qui Fume




Há depois os sítios que são de sempre. Honestos e castiços nas suas toalhas de papel características. Sítios que não são sofisticados mas são calorosos e recebem bem. Para comer a melhor salada de galinha da cidade, acompanhada pelo inconfundível arroz de manteiga que aqui é feito com primor. Sítio que acompanha gerações. Um segredo mais ou menos escondido da cidade: na R. do Almada, o "Chien qui Fume". Em toda a sua esplendorosa tradição...





terça-feira, 18 de Outubro de 2011

Caril de Caranguejo


Mais um caril. Um prato que toda a família adora e que se come sempre com prazer... Este, numa versão de caranguejo, ficou diferente e muito apetitoso....

Ingredientes

3 cebolas grandes
2 dentes de alho grandes
1 piripiri grande
1 colher de sopa de margarina
azeite e sal
1 caldo de marisco
1 lata de leite de côco
1 lata de tomate pelado
3 colheres de sopa de polpa de tomate
2 colheres de sopa de têmpera de caril 
1 Kg de peitos de caranguejo (congelado)
salsa picada

Preparação


Picar, na picadora, as cebolas, o alho e o piripiri. Num tacho largo e grande, refogar essa mistura com a margarina e um fio de azeite por uns 5 minutos. Juntar o tomate em pedaços, o caldo de marisco e o leite de côco e misturar bem. Adicionar os peitos de caranguejo (directamente do congelador), a têmpera de caril e rectificar o sal. Cozinhar em lume brando por 15 minutos. Rectificar os temperos e polvilhar com salsa picada, a gosto. Acompanhar com arroz Basmati.  

Bom Apetite!


segunda-feira, 17 de Outubro de 2011

Um Mar de Afectos

 


Recebi ontem de presente uma das Mesas de Domingo da Mar. Para mim. No dia que é de casa para ela. Uma mesa numa casa com uma atmosfera única. Ao ar livre. Um almoço que era para ter sido no Verão, mas que circunstâncias várias remeteram para este Outubro que está ser, no entanto, quente. Com a mesma naturalidade do primeiro dia, miúdos e graúdos retomaram conversas e nós felizes por estarmos juntas... E pelas mãos da minha Mar uma ementa de mimos, a pensar no que eu gosto. Um brinde fresco com um paté delicioso. Uma sopa de nabiças reconfortante. Um dos seus famosos bolos salgados com uma deliciosa salada de endívias, maçã e romã. E o prato principal.... O lombo Wellington que nos juntou, repousava agora majestoso na mesa que nos acolheu. Óbvio, pensei eu. Não podia ter sido outra a escolha!  A acompanhar, um risotto de legumes perfeito, comida que como diz a Mar se faz "para pessoas de quem se gosta muito". À sobremesa, mousse de chocolate com vinho Moscatel e nougat de figos. Porque a Mar sabe que eu adoro figos. Não cabe aqui a gratidão por este dia. Um dia de princesa, como lhe disse. Para continuar a agradecer o dom da amizade. E brindar aos momentos em que somos felizes. Com uma taça na mão, num jardim sem tempo. No regresso, presentes. Como se fosse preciso mais para que o dia tivesse sido perfeito. No meu quarto estão agora as rosas da nossa mesa. Para que este dia perdure por mais dias na memória e se consolidem os afectos. Um Mar de Afectos.    




sexta-feira, 14 de Outubro de 2011

Lulas Guisadas à Marinheiro



Gosto de lulas desde miúda. Ninguém as vai voltar fazer como a minha avó fazia, nem nenhumas me voltarão a saber tão bem. Mas a vida continua e de vez em quando tenho saudades de umas lulas saborosas como estas. Já da avó, não consigo deixar de ter saudades todos os dias...

Ingredientes
 

1 cebola grande
1 cenoura média às rodelas
azeite
alho
1 tomate médio em cubos e sem pele
1 chávena de café de vinho branco
750 gr de lulas limpas cortadas às rodelas
Salsa, louro, noz-moscada e um golpe de pimenta

1 colher de sobremesa de farinha Maizena (facultativo)
 

Preparação
 

Fazer um refogado breve com o azeite, a cebola e o alho. Acrescentar o tomate e a cenoura e refogar mais um pouco. Colocar os restantes os temperos, com excepção da salsa. Acrescentar de seguida as lulas e o vinho branco. Cozer cerca de 20 a 25 min. O molho pode ser engrossado com uma colher de sobremesa de farinha Maizena, dissolvida à parte num pouco do molho frio. No fim, salpicar com a salsa picada. Acompanhar com batata cozida, pão torrado ou arroz branco.


Bom Apetite!

quinta-feira, 13 de Outubro de 2011

Bolo de Cenoura, Maçã e Amêndoa


O aroma que fica no ar enquanto este bolo coze condiz com o Outono. Talvez pelo cheiro inebriante da canela. Com a humidade própria dos bolos que levam cenoura e maçã. E o crocante viciante da amêndoa. É um bolo delicioso. Para que, com vontade, se abra a porta aos dias que fazem cair as folhas das árvores, mesmo que este ano nos tenham surpreendido com  temperaturas de Verão...

Ingredientes 
(Fonte: Baú da Conceição)

2 cenouras grandes
1 maçã
1 chávena de chá de amêndoa ralada
4 ovos
1 e 1/2 chávena de chá de farinha com fermento
1 chávena de chá de açúcar
1/2 chávena de chá de óleo
açúcar e canela

Preparação

No liquidificador colocar as cenouras cortadas aos pedacinhos, os ovos, o açúcar e o óleo. Bater bem até ficar em creme. Descascar a maçã, cortando-a em cubinhos. Num recipiente peneirar a farinha, a amêndoa, juntar os pedacinhos de maçã e o creme do liquidificador. Misturar bem, colcar numa forma untada e polvilhada com farinha e, por cima, polvilhar com o açúcar misturado com a canela. Levar ao forno a assar em forno pré-aquecido a 180º por cerca de 40 a 45 minutos.

Bom Apetite!




quarta-feira, 12 de Outubro de 2011

Pão Rápido de Passas e Nozes


Um pão rápido mas muito saboroso. Inspirei-me na versão base apresentada pela colher-de-pau, e o resultado foi um pão macio e muito perfumado. Um pão para ir intercalando com os pães versão "artisan bread". Para um pequeno-almoço completo de fim-de-semana...


Ingredientes


425 gr de farinha de trigo
25 gr de manteiga derretida
300 ml de leite
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
3/4 de colher de chá de sal

40 gr de passas
40 gr de miolo de noz triturado

Preparação



Colocar todos os ingredientes na batedeira, com o gancho de amassar, e misturar até se ter formado uma bola de massa. Retirar, polvilhar uma superfície com farinha e voltar a amassar mais um pouco, desta vez com as mãos. Juntar as passas e as nozes e voltar a amassar, até incorporar bem todos os ingredientes. Formar uma bola e colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal. Levar a assar cerca de 35 minutos em forno, pré-aquecido, a 200ºC.

terça-feira, 11 de Outubro de 2011

Strogonoff de Frango com Leite de Coco



Foi uma urgência de dia de semana. Uma mudança de planos culinários. Quis mesmo um strogonoff de frango com leite de coco. Mesmo sem ter os ingredientes em casa. Por isso, entre o trabalho e o regresso a casa, uma paragem breve para comprar o frango, os cogumelos e o leite de coco. E salsa, que a receita não pedia mas que eu achei que iria fazer falta. Depois, foi prepará-lo e ouvir os elogios dos meus filhos a dizerem que o molho estava delicioso e que queriam pão para fazer "molhatas".... 

Ingredientes
(Adaptada de uma receita da Vaqueiro) 


600 gr de peitos de frango cortados em tiras
50 gr de margarina
100 gr de cogumelos frescos laminados
1 colher de sopa de farinha
1 lata de tomate em pedaços (com o suco)
1/2 copo de vinho branco
sal, pimenta e noz-moscada
2 dl de leite de coco
salsa picada

Preparação


Alourar o frango na margarina, juntar os cogumelos e deixar saltear. Polvilhar com a colher de sopa de farinha, misturar bem, juntar o tomate e cerca de meio copo de vinho branco. Temperar com sal, pimenta e noz-moscada, tapar o tacho e deixar ferver suavemente mais ou menos 15 minutos. Se o molho estiver demasiado espesso, adicionar uns pingos de água quente. Quando a carne estiver macia, juntar o leite de coco e deixar retomar fervura por uns minutos. Polvilhar com salsa fresca picada. Servir com arroz branco. 

Bom Apetite!


segunda-feira, 10 de Outubro de 2011

Book



A minha vida social está muito dependente dos meus pirralhos de 5 anos... E se, na verdade, mesmo antes deles existirem as saídas para jantar fora  no Porto eram bastante reduzidas, estas praticamente desapareceram desde então. Por isso aproveito o almoço, com ou sem petizes, para conhecer alguns restaurantes. Bem sei que muitos têm opções distintas ao almoço e ao jantar, de forma que só me posso pronunciar pelo que conheço. Na Baixa do Porto estão a surgir muitos restaurantes novos, bonitos e bons, que se impõem como referências na noite da cidade, mas também ao almoço, como uma opção económica e de qualidade. É assim no Book. Situado onde funcionava a antiga Papelaria Aviz, o Book surpreendeu pela positiva. Bem decorado, é um sítio onde, antes de tudo, apetece estar. Livros, madeiras, candeeiros que aconchegam convidam a um almoço tranquilo em torno de um buffet muito simpático. Sopa, saladas e pratos frios, dois pratos quentes e fruta e doce à sobremesa. Tudo à nossa disposição. 






No dia em que fui, um creme de legumes com migas de ovo, salada de tomate e queijo fresco e um pouco de grão com bacalhau e coentros, chocos guisados com arroz branco. À sobremesa, fruta fresca, mousse de chocolate e um tiramisú muito bem feito. Mesmo em frente, o Salão de Chá Aviz fez recordar pontos de encontro frequentes da Faculdade.  Lugares de ontem e lugares de hoje. Que é bom assistir uma cidade a renovar-se... Ao Book, voltar. E os desejos de que permaneça fiel a este registo de qualidade.





sexta-feira, 7 de Outubro de 2011

Risotto de Bacalhau


Mais um risotto bem português. Com bacalhau e outros ingredientes de época, como pimentos e tomate coração de boi. Ficou delicioso e muito aromático. Já o disse muitas vezes, eu sei, mas um bom risotto é comida que conforta...

Ingredientes (para 2 pessoas)

1 copo pequeno de arroz para risotto (arbório ou carnaróli)
1/2 lombo de bacalhau, já cozido e feito em lascas grossas
1 dente de alho

1 chalota
1/2 pimento vermelho
1/2 tomate coração de boi partido em cubos pequenos
margarina (2 colheres de sobremesa)
azeite
água de cozer o bacalhau (1/2 litro)
1/2
de um copo de um bom vinho branco

salsa 

Preparação

Num tacho largo, colocar o alho picado e a cebola também picada, um fio de azeite e uma colher de sobremesa de margarina. Quando aquecer juntar o arroz e mexer bem, até que este mude de cor (cerca de 2 minutos). Deitar o vinho branco e deixar que evapore. Juntar o pimento e, a pouco e pouco, a água de cozer o bacalhau, que deve estar quente, mexendo sempre o arroz até que este absorva o líquido. Continuar a juntar o caldo até que acabe. No final deste processo o arroz deve estar cozido (mais ou menos 25 a 30 minutos). Juntar então o bacalhau em lascas, o tomate em crú e envolver bem. Já fora do lume, juntar salsa picada, uma colher de sobremesa de margarina e envolver bem. Deixar tapado por uns minutos antes de servir. 

Bom Apetite!



quinta-feira, 6 de Outubro de 2011

Doce de Tomate





Depois de o comer em saladas, em molhos, ao natural, estufados e assados, o luxo supremo: doce de tomate coração de boi. Para cristalizar um pouco do Verão. Para ritualizar a mudança das estações. Para guardar e saborear nas tardes longas de Outono e Inverno, que teimam agora em não querer aparecer...


Ingredientes


1,2 Kg de tomate coração de boi maduro
1 Kg de açúcar branco
1 pau de canela


Preparação


Escaldar em água a ferver os tomates e depois passá-los rapidamente por água fria. Tirar a pele, que assim sairá facilmente. Cortar o tomate grosseiramente e com as mãos esmagá-los directamente para a panela. Colocar o açúcar e o pau de canela e levar ao lume, que deverá ser brando. Deixar cozinhar até obter um ponto estrada (colocar um pouco do doce num prato raso: com uma colher traçar um sulco; se esse sulco se mantiver, ou seja, se ficar uma "estrada" no doce, está obtido o ponto), cerca de 1 hora. Retirar do lume. Guardar em frascos esterilizados, que só devem ser fechados depois do doce completamente arrefecido.


Bom Apetite!