sexta-feira, 29 de Abril de 2011

Mesa para um Domingo de Páscoa




Esta mesa foi posta sem muita "preparação". O mote foi dado pelo motivo escolhido para a ementa impressa: umas delicadas florinhas verdes, brancas e vermelhas. Um motivo primaveril e alegre. A flor vermelha desse motivo levou-me ao chemin, da mesma cor, da Casa Alvarinho. A toalha beije, da Zara Home, deu uma base neutra à mesa. Pratos da SPAL, beijes e verdes, copos vermelhos (para a água) e verdes (para o vinho), ambos da Marinha Grande. Guardanapos da Casa Alvarinho. O Centro de Mesa, acabou por ser o Centro (que eu por acaso uso descentrado...) que actualmente tenho a enfeitar a minha mesa. Como se trata de um Centro muito largo (um antigo tabuleiro redondo herdado da minha Tia-Avó M.), fui pondo a mesa "à volta" desse tabuleiro, porque não me dava muito jeito ter outro espaço da casa ocupado por tão grande objecto..... E depois constatei que, apesar das proporções um pouco exageradas, as cores combinavam muito bem com a mesa que acabava de preparar. E assim ficou. Um pouco por acaso... O Centro de todos os dias, a enfeitar uma mesa especial.  O quotidiano presente na Festa! 




quinta-feira, 28 de Abril de 2011

Ementa para um Domingo de Páscoa


Mais uma Páscoa "Chez Babette". Pais, mana e F. Um domingo que começou solarengo e que permitiu um almoço luminoso, com todos ao redor da mesa num convívio descontraído. Como já expliquei no ano passado, não há na minha família muitas tradições gastronómicas à volta deste Almoço. Obrigatórios, mesmo, são a presença do Pão-de-Ló (que aqui se come à guloso, com manteiga ou com queijo) e das amêndoas de chocolate. E claro, estarmos juntos nesse dia!... O resto fica ao critério de quem prepara o almoço. O ano passado servi um Rolo de Carne. Por isso este ano optei por um prato de Peixe: um belo de um Bacalhau Espiritual. Para entrada, pensei numa entrada que fosse leve e preparasse o almoço de peixe que se se seguiria: umas Tartes Folhadas de Tomatinhos Cherry acompanhadas por umas lascas finas de Presunto. Para sobremesa, uns simples Morangos fatiados, servidos com um bom Gelado de Baunilha e regados com Geleia de Moscatel. Um almoço de Páscoa comprido. Feliz...  




Tartes Folhadas de Tomatinhos Cherry com Presunto
Bacalhau Espiritual
Morangos Fatiados com Gelado de Baunilha e Geleia de Moscatel
Pão-de-Ló

quarta-feira, 27 de Abril de 2011

Noite de Abril



Numa noite quente de Abril, nasceram os meus filhos. Há precisamente 5 anos. As minhas palavras não são suficientes para descrever o amor que tenho por eles. A importância e a omnipresença na minha vida. Eu, neles e eles, livres e únicos. Dois de uma vez!...

Para os meus meninos, o poema da Sophia de Mello Breyner "Noite de Abril",

Noite de Abril

Hoje, noite de Abril, sem lua,
A minha rua
É outra rua.

Talvez por ser mais que nenhuma escura
E bailar o vento leste
A noite de hoje veste
As coisas conhecidas de aventura.

Uma rua nova destruiu a rua do costume.
Como se sempre nela houvesse este perfume
De vento leste e Primavera,
A sombra dos muros espera

Alguém que ela conhece.
E às vezes, o silêncio estremece
Como se fosse a hora de passar alguém
Que só hoje não vem.

Sophia de Mello Breyner Andresen
Obra Poética I
Caminho

terça-feira, 26 de Abril de 2011

Casa da Comida



No meu aniversário, a minha mãe ofereceu-me um livro de culinária absolutamente "delicioso". Chama-se "Quatro Estações na Casa da Comida", da Everest Editora. Um livro que separa, por Estações, as receitas do Restaurante lisboeta "Casa da Comida", o restaurante fundado pelo actor Jorge Vale. Sobre o livro, também de Jorge Vale,  falarei numa outra ocasião.... Para já, fica a "foto-reportagem" da minha ida, na semana que passou, a esse "clássico" dos restaurantes portugueses, que agora tem por Chefe Bertílio Gomes. Trata-se de um restaurante requintado e ao mesmo tempo acolhedor. Um espaço clássico, um serviço atento e cuidado e uma qualidade de ingredientes irrepreensível. Um jantar perfeito em Lisboa. 


Enquanto que eu escolhi apenas um prato de peixe, o Z. optou pelo Menu Tradição, uma forma de conhecer um pouco mais da oferta deste Espaço. Para entrada, Camarão na Frigideira com malagueta e tosta de legumes. A conversa estava animada, e a foto do Camarão foi esquecida... Seguiu-se:


Linguado com Empadão de Sapateira

 Naco de Bacalhau à Lagareiro

 Coxa de Galo com Lasanha
 do Cozido à Portuguesa

Trilogia de Doces Conventuais (Sericaia, Papo de Anjo, 
Pudim Abade de Priscos) e Sorbet de Limão

quinta-feira, 21 de Abril de 2011

Bolo de Chocolate com Lemon Curd para uma Páscoa Feliz


Para desejar uma Páscoa Feliz, uma receita com chocolate parece-me adequada.... Um bolo simples, que mais uma vez provou ser um par perfeito para o lemon curd que ainda sobrava no frigorífico. A todos, votos de uma Páscoa doce e feliz!...

Ingredientes

2 chávenas de chá de farinha

2 e 1/4 chávenas de chá de açúcar
2 chávenas de chá de óleo
1 chávena de chá de de cacau
1 chávena de chá de leite (quente)
5 ovos
2 colheres de chá de fermento
Curd de Limão q.b.


Preparação


Na batedeira, bater a farinha, o fermento, o açúcar, o óleo e os ovos até obter uma massa homogénea. Fora da batedeira, juntar o leite e o cacau e envolver bem com uma colher-de-pau. Levar ao forno pré-aquecido, nos 170ºC, em tabuleiro recatangular untado com margarina e polvilhado com farinha, por 40 minutos. Servir acompanhado de lemon curd, a gosto.

Bom Apetite!

quarta-feira, 20 de Abril de 2011

Salada Caeser



A semana de trabalho que se seguiu ao meu regresso de férias foi extenuante, e as próximas prometem não ficar atrás.... Ao final de um desses dias, em que regressava a casa já muito tarde,  depois de uma ida a Lisboa, fui surpreendida por um jantar leve mas delicioso preparado pelo meu Z. A recriação de uma Salada Caeser que o Z. comeu em Perth, na Austrália, com o ovo escalfado e tudo. O molho ficou uma maravilha e a mistura do ovo com a salada é verdadeiramente surpreendente. Uma delícia!... 


Ingredientes (para 2 pessoas)


Para o Molho
1 dente de alho
1 colher de sobremesa de mostarda de dijon
1 colher de sobremesa de vinagre
1 colher de sopa de maionese
4 colheres de sopa de azeite
1 colher de sobremesa de limão
sal e pimenta

Para os Croûtons
3 fatias de pão de baguete
manteiga
alho em pó
paprika
pimenta

E ainda...
Alface romana
Fiambre ou Bacon
Queijo ralado
2 Ovos


Preparação

O molho: Numa taça, juntar o alho picado, a mostarda, o vinagre e um pouco de sal fino. Bater bem com uma vara de arames. Juntar a maionese e envolver levemente. Adicionar o azeite e emulsionar um pouco no liquidificador. Rectificar o sal, juntar um pouquinho de pimenta e o sumo de limão. Reservar.
Os croûtons e o fiambre/bacon: barrar o pão com manteiga, polvilhar com alho em pó, paprika e um pouco de pimenta. Partir o pão em cubinhos. Numa frigideira untada um fio de azeite, tostar o pão dos dois lados. Reservar. Na mesma frigideira, saltear ligeiramente cubinhos de fiambre ou de bacon.
Os ovos: Levar uma caçarola com água ao lume, até ferver, e adicionar um pouco de vinagre. Juntar os ovos e deixar fervilhar (reduzindo o lume) por 3 minutos. Retirar cada ovo com uma escumadeira para um recipiente com água gelada.
A montagem: Num prato fundo colocar alface romana, a gosto, juntar o fiambre/bacon e polvilhar com queijo ralado. Cobrir a salada com o molho. Colocar os ovos com cuidado e, por fim, adicionar os croûtons. Está pronta a servir!

Bom Apetite!

terça-feira, 19 de Abril de 2011

Creme de Aipo com Feijão Branco



Estou rendida ao Aipo, desde que o usei, não há muito tempo atrás, nesta receita saborosíssima de Pie de Galinha e Alho Francês. E sempre que o uso, lembro-me da P., a amiga da minha mãe que me passou essa receita e de quem gosto mesmo muito.... Bom, quando alguma coisa simples nos faz lembrar alguém... Mesmo que se trate apenas de Aipo!... Este creme ficou delicioso. Suave, aromático e muito cremoso. Ideal para o início de uma refeição....

Ingredientes

3 cenouras (usei biológicas)
1 batata grande
2 cebolas grandes
1 couve branca pequena
1 lata pequena de feijão branco
3 talos de aipo (usei biológicos)
cerca de 1 litro de caldo de legumes
sal, azeite q.b.

Preparação

Cortar todos os legumes finamente, juntar o feijão, cobrir com o caldo de legumes (o necessário para cobrir todos os legumes) e levar a ferver, reduzindo depois o lume e deixando cozinhar por cerca de 40 minutos. Reduzir a puré com a varinha mágica. Rectificar o sal, se necessário, e adicionar um fio de azeite.

Bom Apetite!

segunda-feira, 18 de Abril de 2011

Um Ratatouille que foi um Jantar leve e primaveril


Não tenho dado descanso às minhas facas de cerâmica, dica que fui buscar ao blog da Fa. Agora foram usadas para fatiar, muito finamente, rodelas de courgette, de beringela e de tomate. Foi uma actividade quase terapêutica, essa de fatiar tão finamente os legumes. Depois, foi dispô-los geometricamente numa assadeira e esperar por um jantar leve e primaveril....


Ingredientes

1 beringela
1 courgette
1 a 2 tomates
queijo ralado q.b.
sal, azeite, manjericão seco

Preparação

Numa assadeira colocar um fio de azeite. Fatiar os vegetais às rodelas bem finas. Dispô-los geometricamente na assadeira. Regar com mais um pouco de azeite, temperar com um pouco de sal e polvilhar com manjericão seco. Levar a forno alto (180ºC a 200ºC) por 45 minutos. Nos primeiros 30 minutos cobrir com uma folha de alumínio para não secar. Retirar o papel, polvilhar com o queijo e levar ao forno pelos restantes 15 minutos, até gratinar. 

Bom Apetite!


sexta-feira, 15 de Abril de 2011

Pantagruel


De vez em quando, um regresso às origens. Ao primeiro livro de culinária que a minha mãe me ofereceu. Pouco depois de casar e até antes mesmo de eu saber que ia gostar tanto de cozinhar. Pareceu-me uma bíblia. Tão grande. "Que farei eu com isto?....", pensei. Primeiro, desfolhei-o, quase desinteressadamente. Depois "estudei-o" com atenção. Tanto trabalho que ali estava. Tanta organização. Tão disciplinado. Tão sistematizado. E serviu-me (e serve-me) de referência tantas e tantas vezes.... Um grande livro e um presente muito intuitivo da minha mãe....

quinta-feira, 14 de Abril de 2011

Ervilhas de Estalar


Ao Risotto de anteontem e ao belo bife de ontem, juntou-se mais um acompanhamento que faz as delícias do meu Z. E em mim é automático: sempre que vejo ervilhas de quebrar (ou de estalar), não resisto em levá-las para fazê-las para o Z.... É talvez uma receita muito básica, mas completa-se assim o registo de uma refeição de paladares deliciosos e que já traziam saudade...

Ingredientes

1 saquinho de ervilhas de estalar
1 ou 2 dentes de alho
1 fio de azeite
sal q.b.

Preparação

Arranjar as ervilhas retirando-lhes, quando exista, o fio que têm dos lados. Num tachinho colocar um fio de azeite e o alho picado e deixar aquecer. Juntar imediatamente as ervilhas, mexer bem, temperar com um pouco de sal e reduzir o lume, tapando o tacho. Cozinhar em lume brando por cerca de 20 a 25 minutos. Mexer ocasionalmente, para não pegar e para que cozinhem uniformemente.

Bom Apetite!

quarta-feira, 13 de Abril de 2011

Bifes de Alcatra com Vinagre Balsâmico


O risotto de aipo desta vez não foi prato principal, mas sim acompanhamento de uns belos bifes grelhados em vinagre balsâmico. Um truque que transforma um simples bife num verdadeiro pitéu!....

Ingredientes

4 bifes de alcatra
1 dente de alho
sal, pimenta preta
azeite
vinagre balsâmico

Preparação

Temperar os bifes com um pouco de sal, um golpe de pimenta pimenta e esfregá-los com um dente de alho picadinho. Borrifar cada bife com vinagre balsâmico. Num grelhador ou numa frigideira, colocar um fio de azeite e deixar aquecer. Colocar a carne e deixar cozinhar, a gosto, de cada um dos lados. Retirar os bifes e, no suco que se formou, deitar um pouco mais de vinagre balsâmico (uma colher de sobremesa). Deixar reduzir e servir sobre os bifes.

Bom Apetite!

terça-feira, 12 de Abril de 2011

Risotto de Aipo


Sempre que estou fora, a história repete-se. Para além da indiscutível saudade da família, uma enorme saudade de sopa e de arroz! É do que eu sinto sempre mais a falta.... Por isso não é de estranhar que, após o meu regresso, a "rentrée" seja feita com um risotto. De aipo. Delicioso e cremoso, com o sabor levemente picante e fresco do aipo a sobressair... Divino!

Ingredientes

1 copo pequeno de arroz para risotto (arbório ou carnaróli)
2 talos de aipo
1 dente de alho
margarina (2 colheres de sobremesa)
azeite
flor de sal
caldo de legumes (1/2 litro)
1 gole de vinho branco
Queijo das Ilhas q.b.

Preparação


Num tacho largo, colocar o alho picado, um fio de azeite e uma colher de sobremesa de margarina. Quando aquecer juntar os talos de aipo finamente cortados e deixar cozinhar em lume brando por 5 minutos. Adicionar o arroz e mexer bem, até que este mude de cor (cerca de 2 minutos). Deitar um gole de vinho branco e deixar que evapore. Juntar, a pouco e pouco, o caldo de legumes, que deve estar quente, mexendo sempre o arroz até que este absorva o líquido. Repetir a operação até que o caldo acabe. No final deste processo o arroz deve estar cozido (mais ou menos 25 a 30 minutos). Depois de pronto, e já fora do lume, temperar com flor de sal, se necessário. Juntar queijo das Ilhas ralado a gosto e uma colher de sobremesa de margarina e envolver bem. Deixar tapado por uns minutos antes de servir.


Bom Apetite!

segunda-feira, 11 de Abril de 2011

Na Terra dos Koalas e dos Cangurus...


...Foi onde eu estive. Na Austrália. Bem longe daqui, portanto. Sydney é vibrante, cheia de pessoas simpáticas e descontraídas. Um povo afável e alegre. Muito comunicativos. A cidade é limpa, eficiente e muito bonita. Arranha-céus com palmeiras e outra vegetação luxuriante é uma das imagens de marca. E depois a Ópera de Sydney. Que edifício monumental. De uma beleza rara. Um edifício hipnotizante que apetece fotografar uma e outra vez. Leve e complexo. Com uma acústica brilhante. Sem dúvida um dos ex-libris da cidade. Bons concertos, boas exposições, bons museus. Uma cidade viva!...



Tão perto de Sydney, um passeio às Blue Moutains, onde a natureza se revela em toda a sua exuberância. E ainda uns longos passeios pelas famosas praias de Bondi e de Manly, com direito a saborear as ondas quentes do Pacífico. Um país contagiante. Que tem tanto para descobrir....








No capítulo "culinário" destaco a incursão por aquele que é o 2º maior mercado de peixe do mundo (depois do de Tóquio): uma explosão de cor, cheiros e sabores. Tudo fresquíssimo e com uma apresentação irrepreensível. Também umas montras de bolos decorados de extremo bom gosto, em Paddington. Fizeram-me parar e registar essas obras de arte!.... E depois o inusitado. Em Leura, uma pequena cidade de montanha, a caminho das Blue Mountains, uma montra de uma loja muito sofisticada cheia de louça Bordalo Pinheiro. Os portugueses chegam mesmo a todo o lado.... E com qualidade, têm o destaque que merecem.