quarta-feira, 30 de Março de 2011

Torta de Chocolate com Recheio de Lemon Curd e uma Pausa



Mais uma vez o lemon curd. E as descobertas que tenho feito em torno dele. Percebi agora que fica sublime com chocolate.... Uma torta fofa com o toque ácido e doce do limão. Que prazer tão delicioso...

E entretanto, uma pausa. Uns dias de férias merecidos. De que preciso. Dias a que pretendo acrescentar sítios, cores e sabores. Vivências. Uns dias fora também daqui. Para que a nossa portuguesa "saudade" também se possa estender a este espaço. Para termos saudades uns dos outros que aqui vêm. Para renovar a vontade de voltar sempre à Festa... Até já!...

Ingredientes

6 ovos
200 gr de açúcar
170 gr de farinha
1 colher de chá de fermento em pó
30 gr de cacau em pó
lemon curd q.b.

Preparação

Forrar um tabuleiro rectangular com papel vegetal e untar abundantemente com margarina. Bater muito bem os ovos com o açúcar até obter um creme fofo e esbranquiçado. Peneirar a farinha com o fermento e o cacau e envolver no praparado anterior, suavemente, com uma colher de pau. Deitar o preparado no tabuleiro e alisar. Levar a cozer em forno pré-aquecido, a 180ºC, por 18 a 20 minutos. Estender um pano sobre a mesa, polvilhar com açúcar e virar sobre ele a torta. Retirar cuidadosamente o papel e, com uma espátula, espalhar por cima o lemon curd, a gosto. Pegar nas pontas do pano, enrolar e deixar arrefecer.

Bom Apetite!

terça-feira, 29 de Março de 2011

Batatas Coradas


O País está em crise, com dificuldades. E eu lembrei-me de uma receita que vi aqui, naquele blog que tem uma mesa sempre posta para 4... Receita de outros tempos, até de outro país, em que o racionamento de um ingrediente básico como o azeite obrigava a sugestões que conseguiam ser contidas mas convidativas. Confesso que na altura, quando registei a receita, em mente estava a forma saudável de preparar estas batatas. Hoje, infelizmente, penso não só nisso como na dificuldade que cada vez um maior número de pessoas sente para "pôr comida na mesa". Por isso aqui fica a receita. Utiliza pouca gordura, é saudável e económica. Penso que vai agradar a todos. E o nome original da receita é tão charmoso.... "Batatas à Mrs Anna!..."

Ingredientes

4 batatas grandes (batata roxa ou para fritar)
3 colheres de sopa de água
2 colheres sopa de Azeite
Sal e Pimenta q.b.

Preparação

Partir as batatas um pouco mais grossas do que se partiriam se fossem para fritar. Distribuí-las numa frigideira anti-aderente e, por cima, deitar a água e o azeite. Temperar com o sal e pimenta a gosto e deixar cozinhar em lume brando, com tampa, mexendo de vez em quando.
As batatas acabam por ir, simultanemante, corando e cozendo, estando prontas ao fim de 25 a 30 minutos.

Bom Apetite!

segunda-feira, 28 de Março de 2011

O meu Pai


O meu Pai faz hoje anos. E quero aqui deixar-lhe palavras e imagens. Sei que já publiquei esta foto das nossas mãos juntas. Mas gosto tanto dela que volto a colocá-la. Com destaque. Porque as nossas mãos são muito parecidas. Porque o meu pai me abraça todos os dias. Porque se o amor dos pais pelos filhos é incondicional, o meu pai leva a expressão ao infinito. Porque o gesto protector da mão que me segura é a imagem real da forma que nos une...
Parabéns PAI!

sexta-feira, 25 de Março de 2011

Conto-vos a minha receita...


A Laranjinha lançou o desafio e eu gostei da ideia. Remexer na memória para encontrar "a" receita que mais povoa a nossa infância. E que se situasse nas décadas de 60 ou 70. E eu que nasci bem a meio da década de 70... Já a publiquei aqui, e até a contextualizei do mesmo modo, referindo a importância que tinha (e tem) nos momentos especiais da nossa família. O Bolo Chiffon de Chocolate tinha essa capacidade de estar omnipresente em tudo quanto merecia festejo. E nessa década de 70 e mais tarde na de 80, aniversários e outras festividades como uma final dos "Jogos Sem Fronteiras" (lembram-se?...) ou um "Festival da Eurovisão" eram assinalados com este bolo. Lembro-me até de um S. João muito orvalhado, em que as restrições de viver em apartamento tinham impedido o assar das sardinhas e, em alternativa, comeu-se um Bolo de Chiffon de Chocolate inteirinho, à varanda, envoltos em mantas e a beberricar Vinho do Porto, enquanto assistíamos ao lançamento dos foguetes e dos balões de S. João.



Mas como tinha surgido essa receita na família? Fui indagar... Uma amiga tinha-a passado à minha mãe, no final da década de 60 / início da década de 70. A receita foi transcrita, pela mão da minha mãe, no seu caderno de receitas, cuja imagem reproduzo. As três cruzinhas à frente do nome da receita eram sinal de que o bolo era mesmo bom (a classificação máxima na escala da minha mãe!...)! E era feito na casa dos meus avós com alguma regularidade. Entretanto a minha mãe começou a namorar com o meu pai. Namoros à antiga, que exigiam horas certas e encontros vigiados. Muitas das horas de namoro eram passadas na casa dos meus avós, e bem controlados... Escapavam-se as idas à cozinha, em que a minha mãe se propunha fazer um bolinho para o lanche e o meu pai, solícito, a ajudava na tarefa. Escusado será dizer que o bolo de chiffon de chocolate passou a ser feito semanalmente na casa dos meus avós!...

Os primeiros bolos de chiffon de chocolate devo tê-los comido feitos pela mão da minha mãe. Entretanto, o meu pai revelou-se um cozinheiro e doceiro de mão cheia, pelo que as minhas memórias são compostas por imagens do meu pai na cozinha à volta da preparação de tão distinto bolo. Se nos portássemos bem até tínhamos o direito de rapar a tigela da massa!... Mais tarde, também a minha irmã o passou a fazer. Tão bem como o meu pai. E, talvez por isso, eu nunca me tinha "atrevido" a fazê-lo. Era, como explicar, algo que pertencia ao pelouro deles, e que eu não ousava experimentar. Até ao momento em que criei o Blog. E o fiz como bolo de aniversário de um dos meus filhos, em 2010. Afinal as tradições da família são para perpetuar... E esta vale mesmo a pena!... Conto-vos a minha receita e ofereço-a com carinho...

Ingredientes

175 gr de farinha (1 e 3/4 de chávena de chá)
1/2 de chávena de chá de óleo
3/4 de chávena de chá de cacau
2 colheres de chá de fermento
3/4 de chávena de água a ferver
1/4 de colher de chá de bicarbonato
1/2 colher de chá de baunilha
300 gr de açúcar (1 e 3/4 de chávena de chá)
7 ovos
uma pitada de sal fino

Preparação

Dissolver bem o cacau na água a ferver. Na taça da batedeira, colocar a farinha previamente misturada com o fermento, abrir um buraco e juntar todos os ingredientes, à excepção das claras e do bicarbonato. Bater à mão por 30 minutos (outros tempos!...) ou na batedeira por 10 minutos. Bater as claras em castelo com o bicarbonato e envolvê-las delicadamente na massa. Vai ao forno em forma grande sem untar. Levar a cozer, a 170ºC e em forno previamente aquecido, por 50 minutos. Voltar sobre um prato e só desenformar depois de frio.

Bom Apetite!

quinta-feira, 24 de Março de 2011

Pudim de Frutos Vermelhos


Até a minha mãe se rendeu à "minha" sobremesa-moda do Verão que passou. Mais uma mistura nova e saborosa, que reinventou uma vez mais esta tão versátil sobremesa....

Ingredientes

1 embalagem de gelatina de morango em pó
250 ml de água a ferver
2 iogurtes gregos açucarados
125 gr de frutos vermelhos congelados
alguns frutos vermelhos para enfeitar

Preparação

Numa taça, deitar a água a ferver e a gelatina e mexer vigorosamente com uma vara de arames até estar completamente dissolvida. No liquidificador, bater os iogurtes com os frutos vermelhos, até obter um preparado homogéneo. Verter esta mistura na gelatina, e voltar a mexer bem, até todos os ingredientes estarem ligados. Deitar em taças individuais, enfeitar com alguns frutos vermelhos e levar ao frigorífico por umas horas. Servir frio.


Bom Apetite!

quarta-feira, 23 de Março de 2011

Caril de Camarão com Pimento


A receita de sempre de Caril de Camarão, com uma pequena variação, introduzida pelo pimento vermelho. Ainda melhor mamã!...

Ingredientes

3 cebolas grandes

2 dentes de alho grandes
1 pimento vermelho
1 piripiri grande
1 colher de sopa de margarina
azeite e sal
1 caldo de marisco
1 lata de leite de côco
1 lata de tomate pelado
3 colheres de sopa de polpa de tomate
2 colheres de sopa de têmpera de caril 
1,3 Kg de camarão grande (peso cozido e com casca)
salsa picada



Preparação


Descascar os camarões e reservar. Picar, na picadora, as cebolas, o alho e o piripiri. Num tacho largo e grande, refogar essa mistura com a margarina e um fio de azeite por uns 5 minutos. Juntar o pimento e o tomate em pedaços, o caldo de marisco e o leite de côco e misturar bem. Adicionar a têmpera de caril e rectificar o sal. Cozinhar em lume brando por 20 minutos. Adicionar o  camarão, rectificar os temperos e polvilhar com salsa picada, a gosto. Deixar ferver por mais 5 minutos. Acompanhar com arroz Basmati. 


Bom Apetite!

terça-feira, 22 de Março de 2011

Travesseiros de Frango


Uma entrada simples e deliciosa. Uma massa de crepes perfeita abraça um recheio suave e encorpado. Uma receita para bisar vezes sem conta.


Ingredientes


Para a Massa de Crepes:
75 gr de farinha
40 gr de margarina
2 ovos
170 ml de leite
sal q.b.
1 nozinha de margarina


Para o Recheio:
2 peitos de frango cozidos e desfiados
1 molho de nabiças cozidas
1 cebola
1 alho
2 colheres de sopa de margarina
2 colheres de sopa de farinha
2 dl de caldo de aves (ou caldo de cozedura do frango)
1 dl de leite
sal, noz-moscada e sumo de 1/2 limão


Crepes: Peneirar a farinha para uma tigela. Fazer uma cova no meio e deitar nela o sal e os ovos ligeiramente batidos. Misturar tudo com uma colher de pau. Adicionar metade do leite, mexer com uma vara de arames e, quando o preparado estiver bem ligado, juntar o restante leite. Descansar por 20 minutos e, na altura de utilizar, adicionar a margarina previamente derretida e já completamente arrefecida. Numa frigideira de crepes, derreter uma nozinha de margarina. Deixar aquecer e, com papel absorvente, retirar a gordura, de forma a que a frigideira fique apenas untada. Deitar uma colherada de massa na frigideira bem quente e incliná-la rapidamente de forma a que a massa deslize, cobrindo todo o fundo. Quando a massa começar a enfolar virá-lo com a ajuda de uma espátula. Deixar dourar do outro lado, retirar e reservar. Repetir a operação até esgotar a massa de crepes.

Recheio: Fazer um refogado com uma cebola média finamente picada, um alho também picado e 2 colheres de sopa de margarina. Quando a cebola estiver translúcida, deitar 2 colheres de sopa de farinha, mexendo bem até a farinha estar completamente incorporada. Deitar então em fio 2 dl de caldo de aves (ou a calda de cozer o frango) e 1 dl de leite. Mexer até cozer, devendo o creme ficar macio sem ficar demasiado espesso. Retirar do lume. Temperar então com sal refinado q.b., noz moscada e acrescentar sumo de 1/2 limão. Juntar o frango finamente desfiado e as nabiças cozidas, bem espremidas e cortadas finamente.


Rechear cada crepe com 2 colheres de sopa de recheio, dobrar em 4, dando a forma de pequenos travesseiros. Levar ao forno, previamente aquecido a 150º, só para amornar até ir à mesa. Deve servir-se com salada de alface.


Bom Apetite!

segunda-feira, 21 de Março de 2011

Ser recebida



O verbo receber tem de ser conjugado. Porque às vezes eu recebo, nós recebemos, enquanto noutros momentos outros recebem. Somos recebidos. Mesmo um simples almoço de domingo nos Pais. Com a minha irmã e o F. A minha mãe pôs a mesa para nos receber. Celebrar o facto de estarmos todos juntos uma vez mais. E pensou numa ementa especial que agradasse a todos. Uns Travesseiros de Frango para entrada. Deliciosos! Um Caril de Camarão de comer e chorar por mais. E um Pudim de Frutos Vermelhos, leve e fresco, para rematar. Eu recebo. Tu recebes. Obrigada mãe!... 


As receitas:
Travesseiros de Frango
Caril de Camarão com Pimento
Pudim de Frutos Vermelhos

sexta-feira, 18 de Março de 2011

Esparregado de Espinafres


Adoro esparregado. De grelos, de nabiças, de espinafres. Do cremoso que fica. Um sabor que consegue ser suave e intenso ao mesmo tempo. Que conforta.


Ingredientes


5oo gr de espinafres
2 dentes de alho
azeite, sal e pimenta q.b
1 dl de leite
1 colher de sopa de farinha


Preparação


Cozer os espinafres em água e sal por 15 minutos. Escorrer, espremendo a água em excesso, picar finamente e reservar. Aquecer o leite e desfazer nele a farinha, mexendo bem. Num tachinho levar ao lume um fio de azeite com os dentes de alho picados. Quando começar a estalar, juntar os espinafres reservados e mexer bem e rapidamente. Adicionar o leite com a farinha e deixar cozinhar por cerca de 10 minutos, mexendo sempre para não pegar. Temperar de sal e pimenta. Servir de imediato.


Bom Apetite!

quinta-feira, 17 de Março de 2011

Lombinhos em Crosta de Mostarda e Alecrim



Inspirada numa receita da Elvira, preparei uns lombinhos em crosta de mostarda e alecrim, que se revelaram muito saborosos e aromáticos. Foram servidos com um arroz bem solto e um pouco de esparregado. Cor e sabor à mesa!....


Ingredientes


1.250 gr de lombinhos de porco
2 dentes de alho picados
75 ml de azeite
75 ml de vinho branco
50 gr de pão ralado
2 colheres de sopa de mostarda de Dijon
2 hastes de alecrim picado finamente
2 gemas de ovo
sal e pimenta


Preparação


Cortar os lombinhos em medalhões e colocá-los numa assadeira. Temperar com sal, pimenta e os alhos picados. Regar com o azeite e o vinho branco e reservar por meia a uma hora. Dispor numa taça o pão ralado e a mostarda. Juntar o alecrim e as gemas. Misturar muito bem até obter uma pasta homogénea. Colocar um pouco do preparado sobre cada medalhão de forma a formar uma crosta espessa. Levar ao forno previamente aquecido, a 180ºC, por cerca de 1 hora.


Bom Apetite! 

quarta-feira, 16 de Março de 2011

Espetadinhas Deliciosas


Uma das entradas deste almoço foi escolhida e trazida pelos meus pais: uma simpática e bem recheada Sapateira. Pensei em preparar algo simples que acompanhasse este pitéu. A escolha recaíu numas espetadinhas simples que visualmente ficaram bonitas e cujo sabor combinou na perfeição com a riqueza e o aveludado do recheio da sapateira. Para surpreender também na apresentação, servi as espetadinhas mergulhadas em antigos e largos recipientes de velas. Enchi um terceiro recipiente com tostinhas (este teve de ser reabastecido pelo menos duas vezes!...) e no prato misturaram-se todos os sabores. Como um casamento. Feito de muitas conjugações.... E apesar de tudo com a sábia certeza de que "1+1 é sempre igual a 2". 


Ingredientes

Espetadinhas de Tomate Cherry, Mozzarella e Alcaparras
(Para 6 espetadas)

250 gr de tomates cherry
1 embalagem de bolinhas de mozzarella
6 alcaparras
6 paus médios de espetada

Espetadinhas de Ovinhos de Codorniz com Presunto
(Para 6 espetadas)

18 ovinhos de codorniz
9 fatias finas de presunto partidas ao meio (para obter 18 pedaços)
6 paus médios de espetada

Preparação

Cozer os ovinhos de codorniz em água e sal por 5 minutos. Descascar e reservar. Preparar as espetadas, seguindo, nas de tomate e mozzarella, a seguinte ordem: em cada espetada colocar um tomatinho, uma bolinha de mozzarella, uma alcaparra, outro tomatinho e outra bolinha de mozzarella. Preparar as outras espetadas utilizando em cada uma 3 ovinhos de codorniz e 3 pedaços de presunto, intercalados.

Bom Apetite!





terça-feira, 15 de Março de 2011

Mesa para comemorar as Bodas de Cedro





Para esta ocasião, uma mesa alegre e colorida. A chamar a Primavera, que tarda em querer anunciar-se. Procurei recriar na mesa, aquilo que são as tradições das noivas em dia de casamento. Algo novo, algo usado, algo azul, algo emprestado. Vejamos como... O novo foi alcançado pela estreia de uma prenda de Natal: a toalha rosa, oferta da Tia MG. O usado era praticamente tudo o resto que estava na mesa: pratos Bordallo Pinheiro, chemins da Lethes Home, copos de balão da Schott Zwiesel, copos de água da Leonardo. O azul foi conseguido com os pratos ladeiros da Bordallo Pinheiro. O emprestado (que acabou depois em dado), foi o decantador onde foi servido o Barca Velha. O centro de mesa: uma terrina-peixe da Bordallo Pinheiro. Mais uma mesa. Chez Babette... 





segunda-feira, 14 de Março de 2011

Bodas de Cedro



No dia 8 de Março, os meus pais comemoraram o seu aniversário de casados. 36 anos. Um exemplo de vida que queremos seguir. E celebrar! Uma pesquisa do meu pai na internet encontrou a associação dos 36 anos de casados a Bodas de Cedro. Estava então baptizado o almoço.  Os meus pais encarregaram-se de trazer uma sapateira recheada para entrada (um vício saboroso do meu pai) e um bolo de caramelo crocante para a sobremesa. Eu pensei no resto: para fazer par com a sapateira recheada, umas espetadas simples e muito saborosas. Umas de tomate cherry, mozzarella fresca e alcaparras e outras de ovinhos de codorniz com presunto. Uma associação de sabores que se revelou perfeita! Para prato principal, uns lombinhos em crosta de mostarda e alecrim, servidos com arroz de açafrão (arroz amarelo como dizem os meus filhos) e esparregado. Tudo acompanhado por um Barca Velha 1999, que a ocasião era especial. Um dia bem passado, a celebrar o amor dos nossos pais...



Espetadinhas Deliciosas
Lombinhos em Crosta de Mostarda e Alecrim
Esparregado de Espinafres

sexta-feira, 11 de Março de 2011

Bolo de Chocolate e Beterraba


Uma receita inesperada. Atrevida. Beterraba com chocolate? A combinação intrigou-me... Anotei a receita mal a vi, no blog da Laranjinha. E mentalmente também. Um dia vieram-me parar às mãos umas beterrabas biológicas... Estava lançado o pretexto para o bolo. Que foi feito nesse mesmo dia. Num fim de dia de semana que ficou a cheirar a chocolate e a saber.... a chocolate! A beterraba confere-lhe a humidade e densidade especiais. Nada mais. Um ingrediente secreto! Shiu... o segredo fica entre nós!... 

Ingredientes
200 de chocolate em barra para cozinha
3 ovos grandes
200 gr de açúcar amarelo
100 ml de óleo
1 colher de sobremesa de essência de baunilha
100 g de farinha com fermento
50 gr de amêndoas sem pele raladas
250 gr de beterraba

Preparação

Forrar uma forma de bolo inglês com papel vegetal e untar levemente o papel com margarina. Derreter o chocolate em banho-maria. Bater os ovos, o açúcar e o óleo numa taça durante 3 minutos com a batedeira. De seguida, adicionar a baunilha, a farinha e as amêndoas raladas. Tirar a casca à beterraba, ralar e escorrer (espremer com as mãos para tirar o excesso de líquido) e adicionar à massa, juntamente com o chocolate derretido. Levar ao forno previamente aquecido a 180ºC para cozer durante aproximadamente 50 minutos. Antes de retirar o bolo verificar com um palito se está cozido.

Bom Apetite!



quinta-feira, 10 de Março de 2011

Creme de Beringela e Couve-Flor



Nesta última ida ao meu restaurante favorito de Lisboa (o Mezzaluna), o Z. pediu uma sopa de beringelas que eu provei e adorei. Nunca tinha experimentado beringela na sopa, mas no fim-de-semana seguinte não perdi tempo a incluí-la num creme de legumes que ficou, assim, diferente, saboroso e especial. Mais uma dica incorporada!


Ingredientes


1 batata
2 cebolas
2 cenouras
1 nabo
1 courgette
1 alho francês
1 couve-flor
1 beringela
sal, azeite
pimenta e salsa fresca para servir


Preparação


Cortar todos os legumes um cubos pequenos. Levá-los ao lume cobertos com água e deixar ferver em lume brando por 40 minutos. Triturar bem com a varinha mágica e temperar, a gosto, com sal e um fio de azeite. Na hora de servir, polvilhar com salsa e um pouco de pimenta moída.


Bom Apetite!



quarta-feira, 9 de Março de 2011

Torta Enrolada com Curd de Limão



Para sobremesa deste Jantar "X", queria servir um doce cítrico. Lembrei-me de utilizar a receita recente de curd de limão (lemon curd). Para não ofuscar o sabor intensamente cítrico deste doce, optei por utilizar uma massa básica de torta, que enrolei suavemente sobre o curd de limão. Uma provocação ácida e doce, que fez as delícias de todos os presentes, confessos apreciadores de limão…

Ingredientes

5 ovos
155 gr de açúcar
155 gr de farinha peneirada
1,25  colheres de chá de fermento
5 colheres de sopa de água a ferver
papel vegetal para forrar o tabuleiro
margarina q.b.
curd de limão q.b.


Preparação

Forrar um tabuleiro rectangular com papel e untar abundantemente com margarina. Separar as claras das gemas. Bater as claras em castelo bem firme e adicionar o açúcar, aos poucos mas batendo sempre para que não percam firmeza. Misturar, delicadamente e com a colher de pau, as gemas, envolvendo sempre de baixo para cima. Adicionar a água a ferver e, por fim, a farinha peneirada com o fermento. Envolver delicadamente. Deitar o preparado no tabuleiro e alisar. Levar a cozer em forno pré-aquecido, a 180ºC, por 12 a 14 minutos. Estender um pano sobre a mesa, polvilhar com açúcar e virar sobre ele a torta. Retirar cuidadosamente o papel e, com uma espátula, espalhar por cima o curd de limão, a gosto. Pegar nas pontas do pano, enrolar e deixar arrefecer.
Bom Apetite!



segunda-feira, 7 de Março de 2011

Curd de Limão



A colheita biológica de limões da Tia L. foi muito generosa. E por isso as minhas experiências culinárias com limão continuaram. Agora foi a vez de experimentar fazer o famoso curd de limão (lemon curd). Inspirei-me na receita da colher-de-pau, e deliciei-me com o aroma e sabor fantásticos deste creme. Ideal para rechear bolos, para comer com scones, para acompanhar uma bola de gelado, para comer à colher sem dizer a ninguém... Só para amantes de sabores cítricos. Como eu...

Ingredientes para 1 frasco grande


3 limões
3 ovos
60 gr de manteiga sem sal
160 gr de açúcar


Preparação


Lavar bem os limões. Num tachinho colocar o açúcar, a manteiga, o sumo e a raspa dos limões, e levar ao lume até dissolver tudo muito bem. Entretanto bater os ovos muito bem com uma vara de arames. Retirar a mistura de limão, açúcar e manteiga do lume e adicionar os ovos batidos sem parar de mexer. Leve novamente ao lume (brando), sem deixar de mexer e até a mistura ferver e engrossar. Retirar do lume e colocar num frasco grande. Tapar e voltar o frasco de cabeça para baixo durante 30 minutos para criar vácuo e guardar no frigorífico ou num local fresco até usar.


Bom Apetite!


sexta-feira, 4 de Março de 2011

Pie de Pescada e Camarão


Fiquei tão maravilhada com a receita aromática e saborosa da Pie de Galinha e Alho Francês, que não perdi tempo a pensar em variações possíveis para voltar a combinar o alho francês, a cenoura e o aipo. A versão de pescada e camarão não desiludiu nem um bocadinho. E agradou a todos os comensais. Fica muito leve e saborosa. A repetir…

Ingredientes

Azeite
2 nozes de margarina
4 medalhões de pescada
350 gr de camarão cozido (peso com casca)
2 alhos franceses médios (parte branca) cortados ao comprido e depois fatiados
2 cenouras peladas e picadas grosseiramente
3 paus de aipo finamente fatiados
um raminho pequeno de tomilho (só folhas)
2 colheres de sopa de farinha
1 copo de vinho branco
285 ml de leite
sal e pimenta moída na altura
1 embalagem de massa quebrada fresca
1 ovo

Preparação

Numa caçarola grandita colocar um pouco de azeite e a margarina. Quando começar a ferver, deitar o alho francês, a cenoura e o aipo e cozinhar por 1 minuto. Pousar os medalhões de pescada nessa cama de legumes e deixar cozinhar em lume brando por mais 15 minutos. Juntar depois os camarões descascados. Aumentar o lume e desfazer a farinha num pouco de líquido, adicionando ao preparado e mexendo bem por 2 minutos, envolvendo tudo. De seguida, adicionar o vinho, deixar evaporar, e de seguida o leite. Nesta altura temperar com o sal e a pimenta, manter o lume alto e mexer sempre para não se agarrar ao fundo até o líquido engrossar e reduzir, mas de modo a não secar. Num refractário de tarte colocar o recheio, acamar e cobrir com a embalagem de massa quebrada. Se sobrar massa à volta do refractário, cortar o excesso com uma tesoura. Com as costas de uma faca fazer toques leves à volta das bordas e no meio da massa colocar pedaços de massa cortados com um corta bolachas de feitio a gosto, aproveitando assim as sobras de massa. Bater a gema com um pouco de clara e pincelar tudo. Vai ao forno previamente aquecido, a 180ºC, cerca de 15 a 20 minutos, ou até ficar douradinha.
  


Bom Apetite!


quinta-feira, 3 de Março de 2011

Petiscos frugais para um início de Jantar



Um jantar antecedido por uns petiscos frugais. Sabores distintos mas que combinaram muito bem, despertando o palato para o que se seguiria. Um prato de presunto partido muito muito fino. Uns rolinhos de azeitona libaneses. Um Queijo de Cabra cremoso e de sabor bastante suave. O ainda existente (mas quase no fim...) Chutney de pimento e maçã. Umas tostas a acompanhar. O bastante para petiscar com amigos...




quarta-feira, 2 de Março de 2011

Mesa para o Jantar "X"





Apeteceu-me que este jantar tivesse uma mesa monocromática. Em tons suaves de cinza e beije. A base foi dada por uma toalha cinza rato, quebrada por um chemin de linho cru debruado a cinza, ambos da Casa Alvarinho e ofertas da minha mãe. Marcadores da Area, pratos da Bordallo Pinheiro, pratos de sobremesa da Spal. Faqueiro da Topázio, completado ao longo dos anos pela minha madrinha, mãe do M, que vinha jantar. Uma mistura de copos da Leonardo e da Avó. Cálices de licor da Atlantis. Pratinhos de pão da Geneviève Lethu. Um centro de mesa composto por duas taças da Kosta Boda, que deixaram o seu lugar habitual em cima do piano para assim se estrearem na mesa da sala jantar. Dois castiçais pequenos também da Kosta Boda. Guardanapos de linho branco. Fizemos um brinde a nós e ao futuro, lembrando-nos também das nossas mães que, sendo as melhores amigas de infância, prometeram que a primeira que tivesse um filho teria por madrinha a sua amiga. Nasci eu. E assim se formou o laço!... Celebrado nesse brinde...


terça-feira, 1 de Março de 2011

Jantar "X"



Mais um Jantar chez Babette. Daqueles prometidos há anos sem nunca se ter concretizado! Com o M. e a R. Sempre que nos cruzávamos ficava a formulação: “têm de ir jantar lá a casa”. Isto porque gostamos de conversar, e o tempo passado com eles é sempre muito agradável. De empatia. O M. é filho da minha Madrinha. Conhecemo-nos desde sempre. Praticamente família. Queremo-nos bem. E agora um pretexto mais ou menos formal tornou obrigatório este jantar… O Jantar “X”, uma alusão a esse motivo que nos vai ligar num futuro próximo. E ainda por cima, mais um jantar que trouxe uma novidade no dedo. Que bom!... Parabéns! E as maiores felicidades para os dois!

Para a ementa desse jantar, e ainda inebriada pelos sabores da Pie de Galinha há uns dias experimentada, resolvi adaptar a mesma receita para uma versão de pescada e camarão. Combinou perfeitamente com a cenoura, o aipo e o alho francês. Um sucesso. Para entrada, uns petiscos muito frugais e simples. Um Carpaccio de presunto, um Queijo de Cabra muito suave com o já habitual chutney de maçã e pimento, umas fatias de Rolinho de azeitonas. O vinho escolhido, um Morgado de Santa Catarina – Reserva 2007, pontuou e agradou. Para a sobremesa, uma torta enrolada com curd de limão, acompanhada por um gole refrescante de lemoncello. Um final cítrico mas guloso…



Petiscos Frugais para um início de Jantar
Pie de Pescada e Camarão
Torta Enrolada com Curd de Limão