quarta-feira, 31 de Março de 2010

Folhadinhos de Farinheira com Espinafres




Esta entrada é um petisco!.... E muito simples de preparar. O contraste dos espinafres com a farinheira é excelente!

Ingredientes

1 embalagem de massa folhada de compra (fresca)
1 molho de espinafres
1 farinheira de qualidade
azeite, sal e pimenta q.b.

Preparação

Cozer os espinafres em água e sal por 10 minutos. Escorrê-los bem para retirar o excesso de humidade. Picar a farinheira com um garfo (para não rebentar ao cozinhar) e cozê-la em água a ferver por 5 minutos. Retirar a pele e esfarelá-la grosseiramente. Picar os espinafres. Levar a saltear os espinafres com a farinheira, com um fio de azeite (muito pouco). Rectificar os temperos, se necessário. Estender a massa folhada em formato rectangular. Rechear com o preparado de farinheira e espinafres. Enrolar e pincelar com gema de ovo. Partir o rolo em fatias de 3 cm, aproximadamente. Levar a forno pré-aquecido, no 180ºC, por 20 minutos ou até ficar dourado. Servir morno ou mesmo frio.

Bom Apetite!

terça-feira, 30 de Março de 2010

Jantar do Dia do Pai



Apesar de o dia do Pai ter calhado numa sexta-feira, e ser por isso um dia propício a um jantar mais demorado, vários factores impediram os festejos nesse dia. Consegui almoçar com o meu pai, e jantei com o Z. e os meninos, mas queria juntar todos à mesa, incluindo a minha irmã!... Assim celebrámos o dia do pai "devidamente ainda que com um ligeiro atraso" (como coloquei na ementa) no dia 20. A ementa, é essa aí de cima... as receitas, como habitualmente, seguem nos próximos dias!



segunda-feira, 29 de Março de 2010

Omolete de Claras, Cebola e Courgette aromatizada com Caril e Coentros




Já tinha visto o desafio. E até achei muita piada: fazer uma receita cujo mote do nome/dos ingredientes fosse uma letra do alfabeto. Agora era o "C". Vi o desafio mas não sabia que tinha mordido o isco... E não pensei nesta receita de propósito. A sério! Eu até passo a explicar: o meu pai ontem fez anos e fui eu a fazer o bolo de aniversário - um bolo de nozes com recheio de doce de ovos. Vai daí, sobraram claras. Vai daí, a minha mãe fez um almoço de aniversário divino e era preciso algo light para o jantar. Vai daí, também, tinha uma meia courgette e uma meia cebola perdidas no frigorífico a precisarem de um destino digno. Vai daí, e por último, uma pitada de caril e umas folhas de coentros davam graça e côr ao prato, pensei. Fiz o jantar. Quando o Z. perguntou o que era eu respondi: omolete de Claras com Cebola, Courgette e aromatizada com Caril e Coentros. E fez-se-me luz: tantos Cs - pensei!... Que boa!.. - disse o Z.  E aqui está a nossa participação!

Ingredientes (para 2 pessoas)

4 claras
1/2 cebola às rodelas finas
1/2 courgette partida em palitos finos
queijo mozzarella ralado, a gosto
azeite, sal, pimenta q.b.
uma pitada de caril
coentros picados

Preparação

Saltear numa frigideira, com um fio de azeite e uma pitada de caril, a cebola e a courgette até amolecerem (entre 5 a 10 minutos). Temperar com um pouco de sal e reservar. Na mesma frigideira, deitar metade das claras. Quando começarem a ganhar côr, temperar com um pouco de sal e pimenta. Polvilhar com uns fios de mozzarella e colocar metade do recheio de legumes. Fechar a olomete, dobrando-a com cuidado para não se partir. Fora do lume, polvilhar com mais um pouco de queijo e aromatizar com coentros picados. Fazer de seguida a outra omolete, com os restantes ingredientes. Servir com uma salada de alface e rúcula, temperada com vinagreta de balsâmico.

Bom Apetite!

sexta-feira, 26 de Março de 2010

Sandwich Luso-Americana



A sandwich não tem honras de post, eu sei. Foi um jantar de improviso, num dia em que supostamente não íamos jantar em casa. Sugeri fazer uma sandwich americana que, como todos sabem (ou pelo menos para mim, vá), leva queijo, fiambre, alface, tomate e ovo estrelado. Acontece que na altura só tinha em casa pão de azeite. Um belo pão de azeite, por sinal, que vem à 4ª-feira directamente de Mirandela para a mercearia ao pé da casa dos meus pais e que a minha mãe, mais ou menos religiosamente me compra, sabendo do meu gosto por esse pão. Achei, por isso, graça à mistura de ingredientes, e baptizei a dita sandwich de "luso-americana", ou mais precisamente "mirandelo-americana"!....

Ingredientes

4 fatias de pão de azeite levemente torradas
4 fatias de queijo
4 fatias de fiambre
4 folhas de alface
1 tomate às rodelas
2 ovos estrelados
maionese e sal q.b.

Preparação

Torrar as fatias de pão e barrá-las com um pouco de maionese. Temperar o tomate com uma pitada de sal. Dispor todos os ingredientes sobre uma das fatias de pão e cobrir com outra fatia. Está pronta a comer!

Bom Apetite!

quinta-feira, 25 de Março de 2010

Quanto e como comemos?


Gosto de procurar ser racional na utilização de ingredientes. Fui educada a evitar o desperdício: tento planear as quantidades do que cozinho; não costumo comprar "por impulso" mas sim programar as compras em função do que planeio fazer; não deito pão fora, por exemplo (ou se o faço beijo-o primeiro em sinal de respeito... hábito da casa dos meus pais). Também procuro ser racional na quantidade de calorias ingeridas: não utilizo refrigerantes, modero o consumo de doces, modero o consumo de proteínas (nós portugueses exageramos na quantidade de carne e peixe que ingerimos!). Claro que este blog apresenta muitas vezes receitas de festa, ou de ocasiões especiais, em que há alguns excessos. Mas mesmo aí, e se virem com atenção, as quantidades de gorduras e açúcares que refiro sofrem sempre "cortes" significativos em relação às receitas originais, substituo as natas por iogurte ou leite (nunca comprei um pacote de natas!...), aligeiro as receitas tradicionais portuguesas, não abuso de proteínas e uso muitos legumes. E o que faço, mesmo os tais excessos, procuro comer com moderação. Por me preocupar com a saúde e por respeito a quem não tem.
E há tanta gente que não tem....

Este artigo do Expresso, com imagens que valem mais de 1000 palavras, é sobre um estudo que compara os hábitos e os gastos alimentares de 30 famílias em 24 países, revelando as diferenças culturais mas também as assimetrias entre quem tem tudo mas come mal e quem não tem o suficiente.

Escolhi para este post a imagem da família italiana. À excepção dos refrigerantes, talvez seja a mais próxima da minha. Qual é a vossa mesa?

quarta-feira, 24 de Março de 2010

Tarte de Côco




Esta tarte é uma delícia para os apreciadores de côco e de receitas fáceis!... Fica húmida, quase a confundir-se com fios de ovos mas a saber a côco, claro. Tendo os ingredientes à mão, é uma sobremesa muito fácil e deliciosa!!! 

Ingredientes

1 massa folhada de compra
2 dl de água
150 grs de coco
250 grs de açúcar
raspa de limão
4 ovos inteiros
açúcar em pó q.b.

Preparação

Forrar uma tarteira com a massa folhada, picar o fundo e reservar. Preparar o recheio, levando ao lume o açúcar e a água num tachinho. Quando ferver reduzir o lume e deixar ferver 3 minutos exactos. Retirar do lume e deitar por cima do côco. Mexer bem, acrescentar os ovos batidos e a raspa de limão. Deitar na forma e levar ao forno no 180º por 30 a 35 minutos, ou até dourar. Retirar e polvilhar com açúcar em pó, a gosto.

Bom Apetite!

terça-feira, 23 de Março de 2010

Quiche de Tomate Seco, Queijo de Cabra e Azeitonas Pretas




Adoro quiches e tartes salgadas. São uma refeição leve muito frequente aqui em casa. Mas também ficam bem como uma entrada ou como parte de um lanche e são, por isso, muito versáteis. Esta combinação do tomate seco com o queijo de cabra, que vi aqui, já me parecia que ia resultar bem.... fi-la só para comprovar!... É, de facto, uma delícia... A repetir!

Ingredientes

1 massa quebrada de compra
250 ml de leite
3 Ovos
1 c sopa de farinha
Sal, pimenta e noz-moscada
4 tomates secos conservados em azeite, picados
100 gr de Queijo de cabra (meia cura) esfarelado
10 azeitonas pretas sem caroço e em rodelas
Orégãos secos, ou manjericão para polvilhar (facultativo)

Preparação

Colocar a massa numa tarteira, picar o fundo com um garfo e levar ao forno, nos 180ºC, por 10 minutos. Reservar. Numa taça, colocar a farinha, deitar um pouco do leite e desfazê-la bem para não fazer grumos. Deitar o restante leite na taça, os ovos e bater com uma vara de arames. Temperar a gosto (com pouco sal, já que o queijo é bastante salgado). Distribuir sobre a massa o tomate, as azeitonas e o queijo. Polvilhar com oregãos ou manjericão (facultativo).  Deitar o creme por cima. Levar ao forno, a 180ºC, por 25 a 30 minutos.

Bom Apetite!

segunda-feira, 22 de Março de 2010

Carrot Halwa com Gelado de Baunilha



Eis o doce que finalizou o almoço temático em torno de um caril... (Almoço com "Pinta"). É uma sobremesa indiana de que gostamos muito. O cardamomo dá-lhe um toque especial, e o contraste com o gelado de baunilha fica excelente!

Ingredientes

300 gr de cenouras raladas
1 colher de sopa de margarina
356 ml de leite
3 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa de golden syrup
3 sementes de cardamomo

Preparação 

Numa frigideira larga e baixa, derreter a margarina. Adicionar a cenoura e mexer bem, em lume brando, de forma a cozinhar um pouco a cenoura e a permitir que esta absorva bem a margarina (uns 10 minutos). Adicionar o leite, o açúcar e o cardamomo (previamente moído) e mexer continuamente, até que o líquido evapore e a cenoura coza completamente, cerca de 20 minutos. Colocar o golden syrup e envolver bem. Levar ao frigorífico em taças que se possam desenformar. Servir com gelado de baunilha. 

Bom Apetite!

sexta-feira, 19 de Março de 2010

Vivam os Pais!...


Na foto de cima, eu e o meu pai.
Na foto de baixo, os meus filhos e o pai.

 Sem um Filho te Apagarás no Poente

A luz real ergueu-se a oriente
com a coroa de fogo na cabeça:
e o nosso olhar, vassalo obediente,
ajoelha ante a visão que recomeça.
Enquanto sobe, Sua Majestade,
a colina do céu a passos de oiro,
adoramos-lhe a adulta mocidade
que fulge com as chamas dum tesoiro.
Mas quando o carro fatigado alcança
o cume e se despenha pela tarde,
desviamos os olhos já sem esperança:
no crepúsculo estéril nada arde.
Assim tu, meio dia ainda ardente,
sem um filho te apagarás no poente.

William Shakespeare, in "Sonetos"
Tradução de Carlos de Oliveira

Aos "meus" pais um beijo gordo, um xi apertado e um grande obrigada! Adoro-vos!...

quinta-feira, 18 de Março de 2010

Caril de Frango




É a receita de caril cá da casa. A minha avó A. fazia-o magistralmente, mas tanto a minha mãe como a minha irmã reproduzem-no fielmente... Uma delícia para os sentidos!...

Ingredientes

3 cebolas grandes
2 dentes de alho grandes
1 piripiri grande
1 colher de sopa de margarina
azeite e sal
1 caldo de galinha
1 lata de leite de côco
1 lata de tomate pelado
3 colheres de sopa de polpa de tomate
2 colheres de sopa de têmpera de caril
4 peitos de frango
salsa picada

Preparação

Picar, na picadora, as cebolas, o alho e o piripiri. Num tacho largo e grande, refogar essa mistura com a margarina e um fio de azeite. Juntar o frango partido em pedaços e refogá-lo por uns 5 minutos. Juntar o tomate em pedaços, o caldo de galinha e o leite de côco e misturar bem. Adicionar a têmpera de caril e rectificar o sal. Cozinhar em lume brando por 20 a 25 minutos. Rectificar os temperos e polvilhar com salsa picada, a gosto. Acompanhar com arroz Basmati e pedaços de pão Naan.

Bom Apetite!


quarta-feira, 17 de Março de 2010

Chapatis com Cogumelos



Ingredientes

4 Chapatis (à venda em hipermercados, na secção de produtos do mundo)
1 embalagem de cogumelos selvagens congelados
Azeite, sal, salsa

Preparação

Numa frigideira, saltear os cogumelos (directamente do congelador) num fio de azeite por 15 minutos. Temperar com sal e polvilhar com salsa. Reservar. Preparar os chapatis conforme as indicações da embalagem (no micro-ondas, no forno ou numa frigideira sem gordura). Rechear os chapatis com os cogumelos e partir cada um em 2 ou 3 pedaços, de forma a poderem ser servidos como pequenos snacks.

Bom Apetite!

terça-feira, 16 de Março de 2010

Panquecas de Courgette e Mozzarella



Esta receita, da colher-de-pau, não é propriamente indiana, mas achei que combinava perfeitamente com o prato de caril que se seguia. As panquecas ficam deliciosas, e foram muito bem acompanhadas com mango pickles, aromáticos e picantes. Começámos bem!...

Ingredientes (para cerca de 18 panquecas)

200gr de courgette ralada
1 ovo
8 colheres de sopa de farinha
150 ml de água
100gr de queijo mozarella ralado
1 colher de sopa de azeite
sal e pimenta q.b.

Preparação

Numa tigela, bater o ovo com a farinha, o azeite e a água. Juntar depois a courgette e o queijo e temperar a gosto com sal e pimenta. Levar uma frigideira anti aderente ao lume com um fio de azeite. Colocar colheradas de massa, e assim que estiverem cozidas de um lado, virá-las e deixar cozinhar do outro. Servir as panquecas simples, acompanhadas com molho de tomate ou com estes mango pickles....

Bom Apetite!

segunda-feira, 15 de Março de 2010

Almoço com "Pinta"!...

Há que tempos que o Z. me andava a pedir um caril.... Mas confesso que o argumento que me convenceu foi o de que: "ficava bem no teu blog.....". Depois de cair redonda na ratoeira, convidei também para este almoço a minha irmã e o F. (porque me lembro sempre que desde os seus 3 ou 4 anos quando perguntavam à minha irmã qual o seu prato favorito, ela respondia - Caril!.... e depois era ver as caras estranhas de quem perguntava!....).

Para compor a ementa, lembrei-me, assim, de fazer um almoço temático e baptizei-o de "almoço com pinta", numa alusão à famosa "tilaka" (ou tilak), a marca que os hindus usam na testa e que simboliza o terceiro olho ou o olho da sabedoria.

As receitas, essas, seguem nos próximos dias...


sexta-feira, 12 de Março de 2010

Exposição de Pintura: A Perspectiva das Coisas


Gosto muito de arte. Clássica, moderna, contemporânea, a arte, expressa nas suas mais variadas formas (música, pintura, escultura, literatura e poesia) eleva o ser humano. Para mim, é parte integrante da vida: tão essencial como alimentar o corpo é alimentar a alma! No gosto pela pintura, penso que sou bastante eclética: tanto me deslumbra um bom quadro do século XV como uma obra do século XX ou XXI. Mas houve um género de pintura que sempre me fascinou: a reprodução dos interiores das casas, sobretudo das cozinhas de outros séculos!.... Esse material, absolutamente fundamental do ponto de vista da antropologia e do conhecimento dos hábitos e modus vivendis dos tempos retratados, para mim é pura curiosidade. Deleite mesmo….

As chamadas naturezas-mortas (acho interessantíssima a dicotomia entre as expressões francesa ouportuguesa: nature morte ou natureza morta versus a inglesa: still life… quase a diferença entre o copo “meio vazio” ou “meio cheio”), muitas vezes representando também alimentos, cozinhados e utensílios também me atraem particularmente. E é por isso que deixo hoje a referência à mais recente exposição promovida pelo Museu Calouste Gulbenkian: A Perspectiva das Coisas. A Natureza-morta na Europa Primeira parte: Séculos XVII – XVIII. De 12 de Fevereiro a 2 de Maio de 2010, quem passar por Lisboa não deixe de visitar a 1ª parte desta exposição que é já uma das mais completas sobre este género de pintura.


“A exposição pretende explorar os temas recorrentes da natureza-morta ao longo de quatro séculos de história: naturezas-mortas com frutos, caça, cozinhas e mesas de banquete, pintura de flores, instrumentos musicais, gabinetes de curiosidades, Vanitas e obras em trompe-l’oeil. A diversidade do tratamento artístico destes temas em diversos países será demonstrada através do confronto de obras em exposição, tais como as naturezas-mortas das pintoras Louise Moillon e Fede Galizia, ou as cenas de cozinha de Jean-Siméon Chardin e Luis Meléndez. Entre outros pintores que cultivaram o género e que integram a exposição, contam-se Juan Sanchéz Cotán, Juan van der Hamen, Pieter Claesz, Juan Zurbarán, Rembrandt van Rijn, Antonio de Pereda, Nicolas Largillierre, Jean-Baptiste Oudry, Luis de Meléndez e Francisco de Goya.”


Mais informações aqui.

quinta-feira, 11 de Março de 2010

Galette au Chou





Andava a namorar esta Galette desde que a vi aqui... Uma couve perdida no frigorífico foi o pretexto. Foi o nosso jantar de domingo, acompanhada com uma salada de alface e rúcula. "Legumes com legumes", pensarão. "Que bom", digo eu!....

Ingredientes

½ couve (sabóia, verde ou branca)
2 colheres de sopa de azeite
2 ovos
100 g de bacon em pedaços
3 chalotas finamente picadas
3 dentes de alho picados
Salsa picada qb
200 g de farinha
25o ml de leite
Sal
Pimenta preta moída na altura


Preparação

Pré-aquecer o forno a 180º. Cortar a couve em pedaços, lavá-la e cozê-la a vapor durante apenas 2 a 3 minutos. Untar uma forma de tarte com o azeite e colocá-la no forno. Numa tigela bater os ovos, com o bacon cortado e as chalotas picadas, juntar o alho e a salsa picada e temperar com sal e pimenta. Incorporar o leite e a farinha e misturar tudo até obter uma massa homogénea. Nesta altura, retirar a forma de tarte do forno e verter metade da massa para dentro. Colocar a couve em pedaços por cima e terminar com o resto da massa. Levar ao forno, a 180ºC, por 35 minutos ou até ficar dourada. Servir quente ou morna.

Bom Apetite!
 
   

quarta-feira, 10 de Março de 2010

A 1ª Pizza!...


Não é, nem de longe nem de perto, a melhor pizza que fiz. Foi feita de improviso, com os ingredientes que estavam à mão (ou melhor, no frigorífico). Mas foi a 1ª Pizza que os meus filhos comeram (a metade da direita...) e só por isso já convém ser recordada!

Era domingo e tínhamos estado a ver um filme de desenhos animados em que apareciam umas belas pizzas. Eles perguntaram o que era aquela papinha. Eu expliquei. Eles quiseram provar. Eu fui para a cozinha. Nós jantámos Pizza!...

Ingredientes:

1/2 receita de artisan bread (feita só com 500 gr farinha de trigo, 1/2 pacote de fermento de padeiro, 1/2 colher de sopa de sal, 350 ml de água morna)
molho de tomate caseiro 
um florete de brócolo
2 ovos cozidos
6 fatias de fiambre não muito finas
16 rodelas finas de chouriço de carne extra
queijo mozzarella ralado, a gosto

Preparação

Estender a massa com um rolo até obter a espessura desejada (nós gostamos das pizzas finas). Forrar um tabuleiro do forno com papel vegetal e colocar a massa por cima. Cobrir com o molho de tomate. Escaldar o brócolo em água a ferver com sal (2 a 3 minutos) e escorrer. Rechear a pizza com o fiambre e o chouriço de carne. Numa das metades, colocar os ovos cozidos às rodelas e os raminhos de brócolo. Polvilhar, com queijo mozzarella ralado, a gosto. Levar a forno quente 190ºC por 20 a 25 minutos, até o queijo gratinar.

Bom Apetite!

terça-feira, 9 de Março de 2010

Bolo de Azeite e Mel



Já apetece dizer adeus ao frio e à chuva... Este bolo é ainda um bocadinho invernoso: ideal para acompanhar um chá bem quente. Mas houve quem o comesse à sobremesa, com uma bola de gelado de baunilha, e por isso fica aqui a receita, na transição para a (tão desejada) Primavera...

A receita é da Maria de Lourdes Modesto, com umas ligeiras adaptações.

Ingredientes

4 ovos
100 gr de açúcar
1 chávena de chá de mel (cerca de 2 dl)
1 chávena de chá de azeite (cerca de 2 dl)
200 gr de farinha

Preparação

Bater os ovos com o açúcar. Adicionar o mel e o azeite e continuar a bater. Quando fizer bolhas, juntar a farinha, sem bater, apenas envolvendo. Deitar a massa numa forma untada e levar a cozer em forno pré-aquecido, no 180ºC, por 35 a 4o minutos.

Bom Apetite!

segunda-feira, 8 de Março de 2010

As Mulheres da minha Vida (gastronómica)


Hoje é o dia internacional da mulher. E como este é um blog pessoal e de culinária, sem qualquer outra pretensão, limito-me hoje a eleger as mulheres da minha família que são, gastronomicamente falando, as mulheres da minha vida…

Cronologicamente, a minha singela homenagem…

A Bisavó H. : não a conheci. Mãe de 5 filhos, de classe social elevada, tinha a paixão da boa cozinha. Herdei o seu livro (manuscrito) das receitas que preparava. Apesar de o dia-a-dia estar entregue às empregadas que a ajudavam, nas ocasiões especiais fazia questão de ser ela a preparar algumas iguarias. O seu livro de receitas é por isso dedicado à alta cozinha e ensina a fazer galantines , vários veloutés, empadas de caça, bacalhaus ricos, doces conventuais. Aparecem receitas francesas, austríacas, alemãs. Dela terá vindo o meu gene pela culinária e por um certo gosto pela culinária complicada!...

A Avó A.: a minha avó materna. Um tempero certo, uma mão cheia de receitas que fazia de forma sublime e que nunca mais ninguém as fez tão bem: o timbale de frango, o caril, os croquetes, as lulas estufadas, os bifes enrolados, as rabanadas, a aletria. Uma cozinha de tradição (transmontana de gema) com os temperos de outras culturas (Moçambique). Uma cozinha de coração e intuição.

A minha mãe: a razão na cozinha. Talvez pela sua profissão (e pela Maria de Lourdes Modesto!...), os pratos da culinária tradicional portuguesa foram revisitados e são por isso mais saudáveis, sem contudo perderem sabor. Não cede a excessos de gorduras, de açúcares ou de proteínas. Os seus pratos são certos, racionais e perfeitos. O que faz, faz muito bem.

A Tia L.: a tia pantagruélica. Fins-de-semana na sua casa são verdadeiros workshops culinários. É requintada, curiosa, mantém as tradições mas inova continuamente, gosta de agradar. Todos à sua volta suspiram na presença de qualquer uma das suas refeições. A sua cozinha é rica, científica, de bons ingredientes, nobre.

Ficam ainda estas duas fotos, trabalhos das mulheres deste e deste blogs, e que me surpreendem pela sua criatividade.

Um brinde a nós, mulheres, e um beijo a “eles”, que afinal de contas também são importantes…

PS. Um beijo especial aos meus pais que fazem hoje 35 anos de casados!...

sexta-feira, 5 de Março de 2010

Cherne com Molho Verde Aveludado



aqui desvendei o meu gosto por peças Bordalo Pinheiro. A I. também conhece este meu ponto fraco e, no Natal, ofereceu-me uma travessa enorme, em forma de peixe, linda!... Só tive de procurar uma receita à altura para a inauguração da dita. Achei que o Cherne tinha a imponência que se pedia. O molho é simples, para o peixe brilhar. Muito saboroso, fez uma vistaça na travessa em que foi servida!... Obrigada I.!

Ingredientes (Para 4 pessoas)

1,5 Kg de Cherne (4 postas)
sal, pimenta, azeite
3 cebolas pequenas
4 dentes de alho
salsa
3 colheres de sopa de margarina
2 colheres de sopa de farinha
1/2 caldo de peixe desfeito em 250 ml de água quente
sumo de limão

Preparação

Temperar as postas com sal e pimenta. Picar a cebola e o alho na picadora e colocar numa tigela. Picar bastante salsa e juntar à cebola, bem como a margarina à temperatura ambiente. Desfazer tudo com um garfo até se obter uma pasta homogénea. Barrar as postas dos dois lados com este preparado. Colocar as postas de cherne num tacho largo e baixo, onde se previamente deitou um fio de azeite. Deixar estufar lentamente por 20 a 25 minutos. À parte, misturar a farinha com o caldo de peixe, deitar no tacho e acabar de apurar, de forma a cozinhar a farinha e a formar um molho espesso. Fora do lume, aromatizar com sumo de limão.

Bom Apetite!



quinta-feira, 4 de Março de 2010

Pudins de Chocolate Merengados





Esta sobremesa andava debaixo de olho... O jantar de primos foi o pretexto. Bonita de ver e uma delícia de sabor! ... Fica, assim, completa a reportagem dedicada ao jantar de primos, com a promessa de repetir o encontro em breve: no sítio do costume, uma ementa diferente!

Ingredientes

Para os pudins...
3 gemas de ovo
4 colheres de sopa de açúcar
4 colheres de sopa de amido de milho (farinha maizena)
600 ml de leite
100 gr. de chocolate derretido em banho maria (usei com 70% de cacau)


Para o merengue...
3 claras de ovo
50 gr. de açúcar
1/2 colher de chá de essência de baunilha

Preparação


Num tachinho que possa ir ao lume, bater as gemas com o açúcar e o amido de milho, juntando um pouco do leite se se achar necessário. Num fervedor, aquecer o restante leite até quase levantar fervura. Misturar o leite com o creme de gemas e levar ao lume até engrossar, mexendo sempre com vara de arames. Tirar do lume e juntar o chocolate derretido. Misturar tudo muito bem. Bater as claras, juntando-lhes o açúcar e a baunilha, e continuar a bater até formar picos firmes. colocar a mistura de chocolate em ramequins e cobrir com o merengue. Levar ao forno, pré-aquecido, no 160ºC, por 20 minutos ou até dourar. Servir frio.

Bom Apetite!

quarta-feira, 3 de Março de 2010

Penne com Bacon e molho de Tomate



O jantar, como sabem pelos posts anteriores, tinha sido "encomendado". O meu primo N., no Natal, ofereceu-me um livro de culinária e marcou esta receita para experimentar... Só tive de pensar numa entrada e numa "saída" a condizer com esta bela massa mediterrânica. Comparámos o prato com a foto do livro: estava no ponto!.... e sabia bem, muito bem...

Ingredientes (4 a 6 pessoas)

500 gr de massa penne (a receita indicava macarrão grosso, mas o penne é mais ao nosso gosto, porque absorve muito bem o molho...)
2 chalotas picadas
4 colheres de sopa de azeite
1 lata de tomate pelado picado
2 tomates frescos partidos em pedaços pequenos
4 colheres de sopa de polpa de tomate
125 gr de bacon partido em cubinhos
manjericão fresco
sal, pimenta q.b.
queijo parmesão ralado na hora

Preparação

Numa frigideira larga e funda, saltear as chalotas no azeite. Juntar o tomate fresco, o tomate pelado e a polpa de tomate e refogar por 10 minutos. Adicionar o bacon e deixar estufar por mais 5 minutos. Entretanto, cozer a massa, em água temperada com um pouco de sal, deixando-a al dente. Escoar a massa reservando um pouco da água da cozedura. Na hora de servir, juntar a massa no molho e mexer, em lume forte, por uns minutos. Se necessário, juntar um pouco da água da cozedura da massa. Polvilhar com manjericão fresco e servir de imediato, polvilhada com queijo parmesão, de preferência ralado na hora.

Bom Apetite!

terça-feira, 2 de Março de 2010

Bolo Salgado de Salmão Fumado



O jantar de primos começou da melhor forma: um bolo salgado que eu tinha visto aqui e que andava há que tempos para experimentar. Foi servido com queijo-creme e deliciou os presentes!... É realmente muito bom.

Ingredientes

2 ovos
1 chávena de chá de salmão fumado picado (1 embalagem pequena)
1/4 chávena de chá de azeite
1 colher de sopa de açúcar
1 e 1/4 chávena de chá de farinha de trigo
2 colheres de chá de fermento
1/4 colher de chá de bicarbonato de sódio
1/3 chávena de chá de farinha de milho (fubá)
1 chávena de chá de queijo mozzarella ralado
3/4 chávena de chá de leite (usei magro)
3 colheres de sopa de cebolinho verde fresco picado
pimenta q.b.
queijo-creme para acompanhar

Preparação
 
Untar uma forma de bolo inglês. Numa taça, juntar a farinha de trigo, o fermento e o bicarbonato e reservar. Noutra taça, bater os ovos com o azeite e o açícar com uma vara de arames. Misturar aos poucos a farinha de trigo, alternando com a farinha de milho e o leite. Adicionar o cebolinho, o queijo, o salmão e temperar com um pouco de pimenta. Mexer delicadamente até envolver bem. Levar ao forno pré-aquecido, no 180ºC, por 40 minutos. Servir morno ou frio com queijo-creme a acompanhar.
 
Bom Apetite!

segunda-feira, 1 de Março de 2010

Jantar de Primos



E quando um primo nos oferece um livro de culinária e selecciona um prato que quer provar ... isso é ... jantar pela certa! Foi o que aconteceu com o meu primo N. A receita escolhida era muito simples, mediterrânica. O pretexto juntou também a minha irmã e fez-se um jantar de primos! O ambiente foi descontraído, houve muita conversa e muita risada. Soube bem. Vamos repetir em breve!...